A Mastercard lançou o Fintech Express na Europa. O programa tem como objetivo facilitar o crescimento e a expansão de novas empresas de tecnologia e start-ups na região, com base nas suas necessidades específicas.

A Mastercard acaba de lançar o Fintech Express na Europa, um programa que promove o desenvolvimento e a expansão de start-ups especializadas em pagamentos digitais, informou a multinacional citada pela FinTech Magazine.

“Este programa oferece alianças estratégicas e acesso à experiência, tecnologia e extensa rede global de contactos da Mastercard, visando promover a inovação na economia digital. Além disso, o Fintech Express ajuda as start-ups a estabelecer e a crescer de maneira personalizada”, explica a empresa.

Nesse sentido, o programa contempla três etapas, nomeadamente acesso – as start-ups obtêm uma licença Mastercard que lhes dá acesso à rede global de pagamentos da empresa através de um processo simplificado de integração – , construção – as empresas fintech tornam-se parceiras do Express, estabelecendo alianças exclusivas de tecnologia e aproveitando todas as vantagens que a Mastercard oferece -, e, por fim, ligação – as start-ups têm contato com outros parceiros qualificados do Express e ativam a sua aliança com a Mastercard em questão de dias.

O programa foi desenhado especificamente para as fintechs que procuram desenvolver e adicionar soluções de pagamento ao seu conjunto de serviços, bem como para start-ups com conhecimento tecnológico que procuram expandir-se para um novo segmento.

“Uma das grandes vantagens de se tornar um parceiro Express prende-se com o facto de o lançamento de soluções de pagamento ser simplificado e reduzido, passando de um processo de vários meses para apenas alguns dias. Por outro lado, os membros também poderão usufruir de todos os benefícios disponíveis para os membros do programa Mastercard Engage”, destaca a Mastercard.

Mark Barnett, presidente da Mastercard Europa, afirma que, nos últimos anos, as start-ups europeias promoveram “a transição global para as economias digitais” e o objetivo deste programa é dar um passo em frente, ao “capacitá-las e ao permitir que atinjam  os seus objetivos com mais facilidade, maior velocidade e em larga escala”.

“O desenvolvimento de novas tecnologias marcou as nossas vidas de várias maneiras, seja através dos pagamentos móveis, acesso a financiamento ou comércio eletrónico. As fintechs tornaram-se no pilar de nossa moderna infraestrutura de pagamentos”, salienta Barnett.

O Railsbank, uma plataforma global de serviços bancários foi um dos primeiros aliados a ingressar no programa Express. “Desde que o Railsbank se juntou ao nosso reconhecido programa Start Path em 2017, a nossa colaboração alimentou ainda mais a economia digital e permitiu à fintech lançar novas tecnologias de maneira rápida e fácil”, acrescenta Barnett.

Os regulamentos do open banking na Europa continuam a promover novos modelos de negócios de fintech na região. “O sistema bancário aberto oferece uma oportunidade para os modelos financeiros tradicionais colaborarem com as fintechs e oferecerem às pessoas produtos seguros, simples e inovadores”, conclui Barnett.

 

Comentários