Os Estados Unidos são o melhor país para as mulheres empreendedoras, segundo o recente Índice Mastercard.

A terceira edição do Índice Mastercard de Mulheres Empreendedoras 2019, divulgada recentemente, coloca os Estados Unidos na liderança dos países com melhores condições para as mulheres que queiram lançar-se no mundo dos negócios.  A seguir surge a Nova Zelândia e o Canadá.

Criado com base em informações disponibilizadas pela Organização Mundial do Trabalho, pela Unesco e pelo Global Entrepreneurship Monitor, este relatório avalia essencialmente três vertentes, a saber: os resultados dos avanços das mulheres; os recursos de conhecimento e acesso financeiro e as condições de suporte empresarial.

O Índice concluiu também que as oportunidades para empreender nem sempre estão ligadas a países ricos. Veja-se o caso do Uganda, do Gana e do Botsuana, onde a percentagem de mulheres empresárias, tendo em conta o tota de empreendedores do país, é elevado, respetivamente, 38,2%, 37,9% e 36%.

A Mastercard destacou o facto de os resultados do seu Índice reafirmarem que as mulheres são capazes de fazer novos avanços nos negócios e têm taxas mais altas de participação da força de trabalho em mercados abertos, onde o apoio às pequenas e médias empresas (PMEs) e a facilidade de fazer negócios são altos.

Por outro lado, reafirma que as empresas detidas e lideradas por mulheres são fortes catalisadoras do crescimento económico, e constata que existem diferenças intra- regionais significativas, sobretudo nas regiões do Oriente Médio, África e Ásia-Pacífico.

 

 

 

 

 

Comentários