Início Posts tagged Henrique Jorge

As profissões do futuro (*)

Estamos a testemunhar uma revolução profissional, onde as fronteiras entre homem e máquina desaparecem lentamente, dando lugar a uma colaboração inovadora.

O algoritmo dos pensamentos

Vivemos numa era em que a tecnologia parece progredir a uma velocidade alucinante. Uma das áreas que mais tem captado a nossa atenção é a Inteligência Artificial (IA).

A autoconsciência na Inteligência Artificial

A perspectiva de uma máquina capaz de despertar uma "Consciência Além dos Circuitos", percebendo a sua própria existência, nutrindo pensamentos e emoções, estimula tanto a comunidade científica como a sociedade a explorar os limites do que é possível alcançar.

Explosão de Inteligência — Parte 1/3

O fenómeno GPT e o futuro da humanidade perante os avanços da Inteligência Artificial. A era da Inteligência Artificial é uma realidade cada vez mais presente no quotidiano de todos nós.

Duplos e Segundos Eus Digitais

Desta vez venho falar de um conceito novo nesta Era da Inteligência Artificial e do já insípido mundo das redes sociais. Inicialmente, já há uns bons anos, dei-lhe o nome de "Contraparte" (muito antes das séries televisivas "Counterpart" e "Black Mirror", ou até mesmo do filme "Transcendence"). Era a essência do Projeto ETER9 que andava a tomar forma na minha cabeça.

Sem saber ler nem escrever!

Na década de 80, “sem saber ler nem escrever”, descobri o mundo da computação. Eu acreditava que os computadores podiam fazer tudo, como um Deus electrónico, mas quando pedi ao TIMEX Sinclair 1000 para desenhar o planeta Saturno — sou fascinado por este planeta, talvez por ter anéis —, vislumbro apenas uma mensagem estranha na televisão a preto e branco: 0/0

O verso do Meta!

O Facebook torna-se Meta, e Meta torna-se ainda mais perigoso do que o Facebook jamais foi. No rescaldo da mudança do Facebook, as opiniões negativas já se fazem sentir por este mundo fora.

A inovação é um risco!

Não, não é proibido inovar, muito pelo contrário, mas é sempre arriscado concretizar algo diferente do normal a que as pessoas se habituaram. Risco é o nome do meio dos audazes, dos construtores do futuro. Daqueles que, constantemente, se deparam com a resistência dos cépticos. Daqueles que falham oito vezes e se levantam nove.