Uma pesquisa recente da consultora CB Insights coloca as start-ups chinesas entre as mais valiosas do mundo.

As start-ups chinesas estão a conquistar espaço entre os seus pares mundiais, pelo menos a crer numa das mais recentes pesquisas da CB Insight, ultrapassando mesmo marcas de renome internacional como a Uber, Airbnb ou Rappi.

Na liderança do top 10 das start-ups mais valiosas do mundo, a consultora coloca a Bytedance um serviço que usa inteligência artificial para entregar música e notícias. Fundada há sete anos, esta empresa possui a Jinri Toutia, uma aplicação móvel que agrega notícias e conteúdos de terceiros, com cerca de 120 milhões utilizadores diários. A aplicação recorre a algoritmos de inteligência artificial para mostrar a cada utilizador conteúdos personalizados – seja de notícias, música ou vídeos – com base nos seus interesses e história. Fora do mercado chinês já existem soluções semelhantes como o TopBuzz ou NewsRepublic.

No segundo lugar surge a DiDi Chuxing, um serviço de aluguer de automóveis, semelhante à Uber, que atua no mercado chinês, mas que já começou a expandir a sua atuação para alguns países da América Latina, concretamente no México.

Qualquer uma destas start-ups tem a sua maior de força de mercado no território chinês, mas têm recebido investimento de alguns dos principais fundos de investimento do mundo.

Só na terceira posição do ranking da CB Insights entra uma empresa norte-americana, mais exatamente a JUUL Labs, que desenvolve cigarros eletrónicos. No quarto lugar está a norte-americana WeWork, conhecida mundialmente pelos seus escritórios de cowork.

RANKING MUNDIAL DE START-UPS
Valorização em mil milhões de dólares

Fonte: CB Insight

A plataforma de alojamento Airbnb só surge na quinta posição. Seguem-se a Stripe que desenvolve software que permite que pessoas e empresas façam e recebam pagamentos através da internet, a SpaceX de Elon Musk, a Epic Games, start-up norte-americana que desenvolve videojogos, a Grab, mais uma rival da Uber, no caso em Singapura, e, por fim a Doordash, outro serviço de entrega de alimentos sedeado nos Estados Unidos.

Comentários