A última aposta do fundo da multinacional japonesa foi a Nuro, uma start-up que já tem um veículo autónomo a encurtar a distância entre os negócios locais e os seus clientes.

O Vision Fund, fundo de capital de risco dedicado ao investimento em start-ups detido pelo Softbank – multinacional japonesa de telecomunicações e internet -, anunciou ontem, 11 de fevereiro, o seu último investimento.

Desta vez, a start-up apoiada pelo fundo multimilionário é a Nuro, um projeto promissor com sede em São Francisco, nos Estados Unidos, e que tem como missão desenvolver dispositivos robóticos que facilitem o dia a dia das pessoas.

A empresa fundada por Dave Ferguson e Jiajun Zhu em 2016 levantou uma ronda de cerca de 840 milhões de euros junto da tecnológica nipónica. Somado à recolha de capital feita em janeiro do ano passado, a start-up totaliza perto de 925 milhões de euros levantados até à data, segundo a informação disponibilizada pela Crunchbase.

O primeiro plano da Nuro passou por desenvolver tecnologia de condução autónoma e aliá-la a um veículo que faça entregas locais – colocando assim de lado a necessidade de ter um condutor humano. O carro em questão – na imagem abaixo – tem dois compartimentos com espaço para seis sacos de compras cada um, ideal para apoiar os negócios de bairro na distribuição dos produtos.

Softbank investe 840 milhões de euros na Nuro

Com este dinheiro, a start-up vai poder expandir o serviço de entregas, aumentar a equipa, somar novos parceiros e aumentar a frota de veículos autónomos.

Citado pelo TechCrunch, Dave Ferguson, cofundador do projeto, referiu que passaram “os últimos dois anos a construir uma equipa incrível, a lançar o nosso primeiro serviço não tripulado, a trabalhar com parceiros incríveis e a criar tecnologia para melhorar as nossas vidas diárias […] Esta parceria dá-nos a oportunidade de dar o próximo passo na realização da nossa visão para o comércio local e aplicações amplas da nossa tecnologia”.

Os primeiros testes, em ambiente real, à tecnologia desenvolvida pela Nuro começaram em 2018 com um Toyota Prius que se conduzia sozinho. No final de 2018, em dezembro, a start-up passou a tecnologia para o R1, o pequeno veículo que está a ser atualmente utilizado para apoiar os negócios locais.

Além do serviço de entregas, a equipa sediada em São Francisco tem capitalizado a tecnologia desenvolvida de outra forma: através do seu licenciamento a outras empresas. Uma das compradoras foi a Ike, outra start-up de Silicon Valley que está a desenvolver o mesmo sistema, mas para camiões.

Comentários

Sobre o autor

Avatar