Um trio de cientistas diz que as marcas podem melhorar a sua presença nas redes sociais se tiverem em conta as condicionantes biológicas – como o ciclo de sono – do seu público-alvo.

Atualmente, é rara a marca que não está presente nas redes sociais. Só nos Estados Unidos, prevê-se que, a partir de 2020, as empresas gastem perto de 32 mil milhões de euros por ano para promover a sua marca neste tipo de plataformas. Este número representa cerca de ¼ dos gastos em marketing digital.

No entanto, parte dos profissionais que estão incumbidos desta gestão não tem um conhecimento aprofundado sobre as melhores alturas do dia para fazer as publicações.

Um estudo levado a cabo por três profissionais da área – dois professores e um aluno de doutoramento – veio mostrar isto mesmo. Utilizando a CNN, a ESPN e a National Geographic como amostra, os investigadores descobriram que, caso os profissionais desta área utilizassem uma estratégia com base no ciclo de sono e nas alturas em que o público está mais recetivo a certo tipo de conteúdo, melhorariam o seu desempenho em 8%.

A ideia partilhada pelos autores do estudo é que se a estratégia baseada no instinto dos gestores de redes sociais for substituída por ciência – com base na nossa biologia – é possível melhorar a eficiência e tornar este tipo de plataformas num importante veículo de receitas.

Utilizar a ciência para aumentar o engagement da audiência:   

Segundo os investigadores, e tal como grande parte dos gestores de redes sociais sabe, o horário é um dado extremamente relevante a ter em conta. Contudo, os três marketeers vão mais longe e afirmam que há diferentes tipos de conteúdo a partilhar consoante as horas.

Tendo em conta que a nossa memória funciona de formas diferentes ao longo do dia – sendo que de manhã está no pico máximo, a meio da tarde no mínimo e a um nível médio à noite – os investigadores referem que a nossa predisposição para consumir os diversos tipos de conteúdos está dependente destes picos.

Publicações de manhã: A partir desta teoria, a equipa afirma que é de manhã que há maior recetividade dos utilizadores para interagirem com artigos científicos ou que partilhem ideias novas. Além disto, referem que é uma boa estratégia publicar conteúdo que procure “explorar” as emoções dos utilizadores de manhã, dado que nesta altura do dia estão mais “vulneráveis” .

Publicações à tarde: Neste horário, o conteúdo que incita os utilizadores a fazer uma reflexão profunda é o que resulta melhor. Por outro lado, as publicações patrocinadas nas redes sociais funcionam melhor à tarde. A razão para tal é que este conteúdo tem de ser visualmente diferente (por obrigatoriedade legal) o que, segundo os investigadores, desperta a ideia de que é informação importante junto dos utilizadores das plataformas.

Intervalos das publicações:  Também de acordo com estes investigadores, o melhor intervalo de tempo entre publicações varia entre os 30 e os 90 minutos.

Promover conteúdo: A equipa descobriu, ainda, que, apesar de haver uma taxa de cliques superior nos links quando as publicações são promovidas, o investimento só compensa quando é feito em pequenas quantidades. Sugerem por isso que não esteja constantemente a promover conteúdo, mas que o faça esporadicamente na medida em que os algoritmos respondem melhor a este tipo de comportamento.

Comentários

Sobre o autor

Avatar