A CEO da UK Business Angels Association partilhou alguns motivos para os investidores anjo serem fundamentais em alturas de maior incerteza económica.

A ideia é passada por Jenny Tooth OBE, CEO da United Kingdom Business Angels Association (UKBAA), num artigo de opinião na plataforma Ready for Brexit. Numa altura em que a confiança dos líderes de pequenos negócios do Reino Unido nunca esteve tão baixa – como demonstra um estudo que indica que 57% destes profissionais acreditam que o Brexit vai causar uma recessão económica –, a investidora aponta alguns motivos para os business angels serem um porto seguro para os pequenos negócios em alturas de maior incerteza.

Lidar com períodos de dúvida é uma das tarefas mais complicadas para os empreendedores, como explica Jenny Tooth OBE. O problema intensifica-se junto dos líderes que não têm experiência nesta área. O caminho pouco claro a que o Brexit está a levar o Reino Unido, e respetivos empreendedores, traça uma visão idêntica à da crise financeira de 2008 e à Quarta-Feira Negra de 1992.

É por este motivo que as pessoas que estavam à frente de negócios nestas alturas estão mais bem preparadas para apoiar os pequenos negócios a trilharem um caminho seguro nas águas turbulentas criadas pela saída do Reino Unido da União Europeia. Estes veteranos já fizeram negócios em tempos difíceis e de incerteza económica, especialmente nos referidos anos de 2008 e 1992, pelo que representam um grande ativo para as PME que ainda não passaram por situações do género.

Jenny Tooth OBE argumenta que tanto o setor privado como a comunidade de investidores têm a responsabilidade de ajudar os pequenos negócios britânicos a implementar planos de contingência, a perceber as oportunidades de escalabilidade internacional e de os ajudar a criar estratégias de crescimento.

Esta é possivelmente uma das facetas mais importantes dos business angels: para além do dinheiro depositado em projetos, estes investidores já têm experiência nos setores em que estão a investir e, por consequência, são também os melhores profissionais para ajudar a geração que os sucedeu a encontrar uma saída positiva para o Brexit.

O artigo de opinião da CEO da UKBAA explica que quando comparados com outros veículos de investimento, os business angels são quase um pack “pague dois leve um” porque além da capacidade de injetarem dinheiro num negócio (se bem que em números inferiores a fundos de capital de risco), trazem a sua experiência e conhecimento para os negócios que financiam, estão “menos preocupados com o retorno rápido” do seu investimento e estão “preparados para apoiar o negócio no seu caminho de crescimento e de exit durante um período mais alargado”.

Saliente-se que os business angels são um veículo extremamente importante para a economia britânica, contando com mais de 18 mil investidores. De acordo com os dados passados por OBE, estes investem mais de 1,5 mil milhões de libras (1,7 mil milhões  de euros) por ano, tornando-se no motor principal da economia no que toca a financiar start-ups e negócios em fases embrionárias.

Comentários

Sobre o autor

Avatar