Os vencedores do Prémio “Cidades e Territórios do Futuro” foram revelados esta tarde, no âmbito do Digital Business Congress, da APDC (Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações).

Com o propósito de reconhecer projetos pioneiros, ideias e estratégias transformadoras que tornem as cidades espaços mais habitáveis, sustentáveis e economicamente viáveis foram revelados hoje os vencedores do Prémio “Cidades e Territórios do Futuro”.

Nesta edição estiveram em causa nove categorias, nas quais foram atribuídos um prémio e, em alguns casos, uma menção honrosa. O júri foi constituído por representantes de empresas e organizações, com conhecimento específico nas categorias a concurso. Os premiados foram:

SAÚDE E BEM-ESTAR
Hortee by Fhlud
– é um mercado online e uma ferramenta de vendas, da autoria Ivanoel Rodrigues, Karyna Yurchenko e António Luzio, que permite a agricultores e consumidores fazerem negócios entre si.

Menção Honrosa: Balcão SNS 24 – espaço físico, de inclusão digital, que pretende garantir o acesso e todos os cidadãos aos canais digitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Este projeto, dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, pretende evitar deslocações às unidades de saúde, permitindo que as pessoas possam renovar receitas de medicamentos, consultar resultados de exames, aceder aos guias de tratamento ou marcar consultas, entre outros serviços.

IGUALDADE E INCLUSÃO
Centro de Cidadania Digital
– são espaços colaborativos, de disponibilização de ferramentas digitais que promovem a utilização da tecnologia na criação de projetos sociais, como forma de cumprir a sua missão de inclusão e inovação social e digital. A AICD – Associação para Inserção por Centros Digitais de Informação (CDI Portugal), assina o projeto.

Menção Honrosa: Projeto Linhó Circular – resultou de um trabalho de investigação dos reclusos do Estabelecimento Prisional do Linhó, em parceria com a Câmara Municipal de Cascais. Incentiva o desenvolvimento sustentável, através da economia circular, assente num projeto agrícola (de 49,79ha), ao qual está interligado um sistema local de tratamento de resíduos orgânicos com produção de fertilizantes e microgeração de energia.

QUALIFICAÇÕES
Plataforma Recode
– Este projeto foi criado no âmbito dos Centros de Cidadania Digital (CCD), espaços colaborativos de disponibilização de ferramentas digitais para cidadãos, que promovem a utilização da tecnologia na criação de projetos sociais. Disponibiliza cursos, de forma gratuita e acessível, que asseguram a capacitação em competências comportamentais, digitais e tecnológicas valorizadas pelo mercado de trabalho. Quer criar um novo conceito de smart and human cities com o objetivo é melhorar a qualidade de vida.

MOBILIDADE E LOGÍSTICA
Letzgo Travel
– trata-se de uma aplicação one-stop-shop para turistas, que conseguem encontrar numa app, tours self-drive com áudio guia, bilhetes skip-the-line para as principais atrações e ainda a possibilidade de adquirirem pacotes de dados de internet com a tecnologia e-sim. Desenvolvida por Djalmo Gomes, assume-se como uma solução disruptiva e altamente tecnológica para o setor do turismo.

Menção honrosa: CycleAI – esta aplicação promete resolver a questão de como tornar as deslocações mais ecológicas e seguras. Os promotores deste projeto, Miguel Peliteiro e Luís Rita, conceberam uma rede neural para estimar automaticamente a pontuação de segurança de qualquer imagem, na perspetiva dos utilizadores de bicicletas. O projeto integra um planeador de rotas de aprendizagem automática com base na perceção de segurança dos ciclistas e prevê a criação de uma aplicação multiplataforma, com sugestão de rotas mais seguras para os utilizadores de micromobilidade (scooters, bicicletas, etc.) e permitir ao utilizador identificar pontos críticos.

COLABORAÇÃO INTERGERACIONAL
Plataforma digital dNovo
–  O projeto promovido pela Associação dNovo tem como missão oferecer uma resposta integrada para o problema do desemprego sénior qualificado, posicionando-se como um agente de transformação do mercado de trabalho e contribuindo para o equilíbrio intergeracional e sustentabilidade da economia. Quer promover o regresso a uma atividade remunerada de profissionais com mais de 50 anos, com formação superior, em situação de desemprego e experiência profissional em funções executivas de direção e cargos de liderança.

RELACIONAMENTO COM O CIDADÃO E PARTICIPAÇÃO
O Nosso Chão
– No formato de um jogo, implementado em escolas e outras instituições, esta ferramenta digital possibilita aos jovens experimentarem e vivenciarem processos participativos de auscultação, diagnóstico e melhorias do espaço físico e social dos territórios em que estudam e habitam. Jogado em equipas a partir de um telemóvel, tablet ou computador, a ferramenta propõe a realização coletiva de ações práticas nos espaços reais (recolher memórias, identificar características que definem o espaço, propor/realizar melhorias necessárias, indicar novos usos, etc). À medida que submetem as provas realizadas, as equipas vão ganhando pontos e territórios, tornando-se guardiões e guardiãs d’O Nosso Chão. Foi promovido pela Rés do Chão e pela SPOT Games.

DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
Acelerador para a transição energética do Porto (ATEP)
– Trata-se de um projeto que resultou da colaboração entre a E-REDES, Câmara Municipal do Porto e Agência de Energia do Porto, com vista a acelerar a transição energética e digital nas cidades. O projeto tem quatro áreas principais de colaboração: geração de energia descentralizada; otimização do carregamento para a mobilidade elétrica; iluminação pública; e Centro para a Transição Energética do Porto.

ECONOMIA CIRCULAR E DESCARBONIZAÇÃO
100 ALDEIAS
– Projeto de inovação e empreendedorismo social, com foco nos territórios de baixa densidade de Portugal. Visa combater a pobreza energética em comunidades rurais, através do acesso a eletricidade limpa, de origem solar, produzida localmente e mais barata, sem necessidade de investimento dos participantes. Foi desenvolvido pela Cleanwatts.

Menção honrosa: Water Wise System – Solução de software para a monitorização inteligente de redes de distribuição de água desenvolvido pela Águas de Gaia & Wakaru Consulting. O projeto-piloto explora os dados de mais de 200 sensores de caudal instalados desde os pontos de entrega da Águas de Águia até às Zonas de Monitorização e Controlo, o que permite monitorizar em tempo real toda a informação sobre movimentos e consumos de água.

PRÉMIO SUPRA-CATEGORIA
Balcão Único do Prédio (BUPi)
– É uma plataforma dirigida aos proprietários de prédios rústicos e mistos, que permite mapear, entender e valorizar o território português, de forma simples e gratuita. Simplifica um processo habitualmente lento, moroso e que exigia deslocações físicas ao território. Assume-se como ponto central de contacto do cidadão com as entidades públicas setoriais para operacionalizar todos os procedimentos necessários à expansão do cadastro simplificado e da garantia da sua permanente evolução no sentido do aprofundamento da interoperabilidade entre entidades. O projeto começou em 2017, com um piloto em 10 Municípios, que está agora a ser alargado a todo o país.

Comentários