A sua empresa tem um ambiente tóxico? Faça uma avaliação com estes três sinais e descubra como combater o problema.

Apesar de existir cada vez mais informação disponível sobre como gerir pessoas e criar culturas de sucesso, as empresas com um ambiente tóxico continuam a ser uma realidade dos tempos modernos.

Como ter a certeza que trabalha num ambiente tóxico? Como pode lidar com este problema? Foram estas questões que levaram Chris Porteous, CEO da Grey Smoke Media e da My SEO Sucks, a escrever um artigo no Lifehack sobre o tema.

Se nalguns casos pode ser fácil aferir a toxicidade de um local de trabalho, noutros nem sempre é óbvio. Por isso, Porteous partilha três sinais que o podem ajudar a fazer esta avaliação:

1 – É colocado de parte na comunicação interna

Um dos sinais mais claros que de que faz parte de uma cultura tóxica é ser colocado de parte na comunicação da empresa. Este problema é especialmente comum para as mulheres e minorias étnicas.

Para além de não fazer parte do CC de muitos dos emails internos que circulam pela empresa, pode ser muitas vezes silenciado por colegas que não querem que contribua com ideias que o possam destacar. Quanto mais tóxico for o ambiente, maior a possibilidade de existirem colaboradores parasitas.

De acordo com uma análise feita num podcast da Harvard Business Review, este problema pode ser especialmente verdadeiro para as mulheres, que se veem muitas vezes “silenciadas”. A solução para este desafio não é clara, mas o conselho é: falar quando sentir que está a ser silenciada.

2 – Outras pessoas ficam com os louros das suas ideias

Outro sinal evidente de que faz parte de um ambiente tóxico é o “assalto” dos seus pares às suas ideias. A seguinte situação talvez lhe seja familiar: está numa reunião, propõe uma solução nova e o feedback é neutro. Mais tarde apercebe-se que outras pessoas desenvolveram a sua ideia e receberam crédito por isso.

Este cenário não só é extremamente frustrante, como também pode limitar as suas possibilidades de progredir na carreira.

A solução é parcialmente idêntica à anterior. Para batalhar contra esta situação tem de aprender a contrariar estes colegas e a reclamar as ideias como suas. Depois de o fazer, Porteous escreve que os outros colaboradores que levam a cabo iniciativas desonestas do mesmo género vão sentir -se menos tentados a fazê-lo. Por consequência, poderá notar uma diferença substancial na forma como a empresa opera.

3 – Não recebe de acordo com o valor que traz à empresa

O último sinal apontado por Chris Porteous é provavelmente o mais comum: não está a ser devidamente recompensado pelo trabalho árduo que tem vindo a realizar.

São demasiado frequentes as empresas que têm colaboradores que, apesar de trabalharem arduamente para se destacarem, não são devidamente recompensados com um aumento salarial.

Da mesma forma que os dois pontos anteriores, se nada fizer a situação não se vai alterar. Refira-se, ainda, que é importante perceber que ser devidamente recompensado é mais do que culpar os colegas por terem salários mais elevados do que o seu. Em vez disso, as equipas devem unir-se e serem transparentes em relação a este problema para que as chefias sejam pressionadas a igualar os recibos de vencimento.

Faz parte de um ambiente tóxico? Eis como pode contrariar o problema

Depois de avaliar o nível de toxicidade do ambiente da sua empresa, é preciso saber o que fazer para lidar com o problema.

Numa entrevista recente ao Link To Leaders, Stefan Lindegaard, especialista em inovação e liderança, explicou que a melhor forma de lidar com os chefes tóxicos é simplesmente excluí-los das empresas. Mas como este tipo de comportamentos não está nas mãos de um colaborador, eis algumas formas de ultrapassara a questão.

Uma das competências fundamentais é saber negociar. Porteous esclarece que ter uma comunicação eficaz é o primeiro passo para ganhar uma negociação. É fundamental explicar aquilo que se pretende e deixar claro que a situação tem de mudar rápida e drasticamente.

Outro método é falar com alguns dos colegas para tentar perceber se também eles se sentem vítimas do ambiente tóxico que se vive na empresa. Isto é relevante porque vários testemunhos têm sempre mais força do que as queixas de apenas um colaborador. Tenha a certeza que leva o assunto a um dos gestores com cargos mais elevados.

Por último, se tiver força de vontade para mudar a cultura da empresa, pode sempre tornar-se num agente de mudança. Afira aquilo que pode mudar em si e aquilo que gostava de ver implementado nas equipas, fale com os colegas e tente tornar o ambiente laboral num espaço de confiança e segurança.

Comentários

Sobre o autor

Avatar