Lançámos um desafio à Fábrica de Startups: eleger a start-up do mês. Conheça as razões da sua escolha que recaiu na Climber Hotel, uma ferramenta de Revenue Management que ajuda hotéis independentes a maximizar a receita, através de tarifas dinâmicas.

Nome da Start-up: Climber Hotel

Fundadores: Mário Mouraz e João Pedro Feliciano

Com formação em Gestão Hoteleira, o Mário é um especialista em hotéis, sendo a Climber a terceira das start-ups por ele fundadas, relacionadas com Turismo/Hotelaria. Já o João Pedro conta com 18 anos de experiência como Engenheiro de Software e largou a vida corporativa para se dedicar, a tempo inteiro, ao sonho de lançar a sua própria empresa.

Atividade: A Climber Hotel é uma ferramenta de Revenue Management para hotéis. A maioria dos hoteleiros independentes não têm tempo nem know-how para otimizar preço, de forma dinâmica, deixando a taxa de ocupação do hotel abaixo do seu potencial.

A Climber ajuda os hotéis independentes e pequenas cadeias a maximizar as suas receitas, tornando mais fácil e rápida a tomada de decisões, baseadas em informação de mercado e do hotel, em tempo real. São diferentes de outras soluções, por se terem focado nos hotéis de menor dimensão, disponibilizando a estes hotéis a utilização de ferramentas que, normalmente, apenas estão disponíveis para os grandes hotéis e cadeias multinacionais.

Como surgiu a ideia: A ideia inicial nasceu da deteção de um problema em conversa com diversos hoteleiros, no âmbito da start-up anterior, da qual Mário Mouraz foi cofundador, que estava relacionada com a inexistência de soluções económicas e simples de usar o Revenue Management. Atualmente, apenas cerca de 3% dos hotéis têm globalmente acesso a soluções de Revenue Management (RMS), devido ao facto de estas terem um custo elevado ou serem complexas.

Plano de negócios: A Climber decidiu focar-se num mercado inexplorado, representado pelos hotéis independentes, que correspondem a uma fatia de 96% do número total de hotéis no mundo – um mercado que vale 262 milhões de euros e que se estima aumentar para 3,1 mil milhões de euros em 2020.

Esta start-up conta já com uma equipa dedicada de nove pessoas e está prestes a expandir-se para novos países, como o Reino Unido, estando inclusive a preparar a próxima ronda de capital, onde procura um investimento de 600 mil euros, para a ajudar a escalar internacionalmente.

Os países seguintes para os quais planeia expandir são a Alemanha e a França, ainda em 2017.  A Climber lançou um produto viável mínimo (MVP) em julho e conta, atualmente, com cerca de 90 hotéis interessados em começar o 14-day trial da Climber.

Por que merece destaque: A Climber iniciou atividade em Março de 2015 e, embora recente no mercado, já está a trabalhar com importantes cadeias hoteleiras em Portugal. A ferramenta automatizada de Revenue Management permite que o hoteleiro venda mais e melhor, pelo que os seus fundadores estimam ser capazes de ajudar o hoteleiro a aumentar as suas receitas em cerca de 10% ao ano, bem como a poupar seis a oito horas de trabalho por semana.

“Os fundadores da Climber são um dos melhores exemplos de empreendedores que conheço. Tiveram a coragem de validar as suas ideias nos nossos programas de aceleração, de persistir, mesmo depois de fracassos, e de avançar para o mercado internacional com muita determinação.  A Climber representa bem o tipo de start-ups que devemos apoiar e de que muito precisamos em Portugal”, explica António Lucena de Faria, sócio fundador e presidente da Fábrica de Startups.

Outra informação relevante: Esta equipa foi uma das start-ups que a Fábrica de Startups selecionou para participar no programa de aceleração Discoveries e que melhor desempenho teve.  Mais recentemente, esteve em Macau, onde ganhou um dos prémios oferecidos pelo Turismo de Portugal.

Site: www.climberhotel.com

Comentários