Luxifer é o vencedor do concurso Future City Challenge, criado para premiar soluções inovadoras que tornem Coimbra numa cidade “mais inteligente e sustentável”. O dispositivo controla a iluminação pública LED e adapta-a ao conforto, tráfego e segurança na cidade.

Luxifer, um dispositivo que controla a iluminação pública LED, foi o vencedor da primeira edição do concurso Future City Challenge de Coimbra que desafiava os participantes a criarem soluções inovadoras com impacto na comunidade.

Segundo a organização em comunicado, estavam “nove equipas selecionadas” para o prémio final que “desenvolveram os seus protótipos, tirando partido da The Things Network, uma rede sem fios de longo alcance LoRaWAN (Long-range Wide Area Network) com uma cobertura significativa em Coimbra e apropriada para projectos IoT (Internet of Things)”.

“O vencedor foi anunciado na cerimónia que decorreu no Convento de São Francisco, em Coimbra, e a equipa vencedora receberá um prémio de cinco mil euros oferecido pela Critical Software, além do acesso a três meses de incubação no Nest Collective, incluindo mentoria e utilização dos seus espaços e serviços”, refere o comunicado.

Presentes na cerimónia, dois dos elementos do projeto vencedor explicaram que identificaram que “existia um problema ao nível das luminárias em Coimbra, uma vez que sempre que existia uma avaria, essa situação tinha de ser reportada por um cidadão, o que não fazia qualquer sentido”.

“O Luxifer terá a capacidade para controlar luminárias, comunicar o seu estado atual e eventuais avarias de forma automática aos técnicos responsáveis. Estamos muito felizes por receber esta distinção numa área na qual nos identificamos bastante, que é a Internet das Coisas, o objetivo passa por continuar a aprender e a evoluir”, referem João Cardoso e João Ferreira, que desenvolveram o projeto.

O diretor de Inovação da Critical Software não escondeu a “satisfação com o resultado desta primeira edição do Future City Challenge”, tendo em conta “a qualidade dos projetos” apresentados. “Comprova a grande aptidão que o talento português tem para desenvolver soluções tecnológicos, sempre com foco na inovação. Queríamos com esta iniciativa promover a cidadania, incentivando os participantes a identificar desafios e desenvolver ideias com verdadeiro impacto na cidade, utilizando Internet of Things e a The Things Network”, justifica Bernardo Patrão.

O diretor de Sistemas de Informação e Inovação da Câmara Municipal de Coimbra, parceira do concurso, refere que a autarquia tem “muito gosto” em associar-se a iniciativas como o Future City Challenge – Coimbra e à rede comunitária The Things Network (TTN Coimbra) para a Internet of Things (IoT).

“Atividades de cidadania como esta por parte da Critical Software são relevantes para tornar Coimbra uma cidade cada vez mais inteligente e sustentável, tornando-a mais atrativa para todos os que nela vivem, trabalham, estudam ou a visitam. Este é também um objetivo da câmara”, defendeu Nuno Pimenta que, no seu entender, “juntar inovação, talento e empreendedorismo é, sem dúvida, um enorme desafio”.

O Future City Challenge – Coimbra é, de acordo com os promotores, uma competição promovida pelo Fikalab, laboratório de inovação da Critical Software, e reflete a cultura da empresa tecnológica de incentivo ao desenvolvimento de projetos com impacto positivo na sociedade.

A iniciativa contou com o apoio, para além da autarquia, do Centro de Ecologia Funcional, do Nest Collective, do Instituto de Sistemas e Robótica da Universidade de Coimbra e da Escola Superior Agrária e do Instituto Superior de Engenharia, do Politécnico de Coimbra.

Comentários