A European Business Angels Network (EBAN) acaba de divulgar o seu “Annual Statistics Compendium” relativo a 2018, um relatório dedicado à atividade dos business angels europeus. Os investimentos realizados rondaram os 12,3 mil milhões de euros.

O relatório anual da atividade dos Business Angels na Europa em 2018, uma iniciativa da European Business Angels Network (EBAN) dedicada à atividade de empresários e redes de Businessa  Angels e que fornece informações sobre o mercado global em fase seed, assim como sobre as networks de BA que operam no continente, e a visão sobre suas atitudes de investimento.

As estatísticas apresentadas no relatório são relativas à atividade desenvolvida em 2018, e são reveladoras do dinamismo que se vive no universo europeu de start-ups. Senão, vejamos: no ano passado, o mercado de investimento em fase seed na Europa totalizou 12,3 mil milhões de euros, dos quais 7,45 mil milhões foram investidos por BA, um aumento de 2,44% em relação a 2017. A Europa continua a ser o principal mercado de atuação para os BA investirem em start-ups.

Comparativamente, nos Estados Unidos, o investimento proveniente de BA atingiu uma estimativa de 23,1 biliões de dólares. A comunidade BA na Europa cresceu para cerca de 345 mil investidores que fecharam 37.200 negócios em 2018.

Globalmente, tendo em conta outros investidores em fase inicial que operam na Europa, o setor, que inclui VCs em fase inicial e crowdfunding, atingiu um investimento estimado de 12,3 mil milhões de euros em 2018.

No que respeita aos diferentes mercados europeus, o Reino Unido continua a ser o país líder, com 109,4 milhões de euros investidos, em 2018, e 107,7 milhões de euros, em 2017. A Alemanha surge na segunda posição com os investimentos dos BA a atingirem os 86,6 milhões de euros, seguindo-se a Espanha com 58,7 milhões de euros de investimento anual.

Apesar do desempenho muito positivo dos mercados mais maduros, destaque também para a performance de sucesso de mercados mais pequenos como são os casos da Finlândia, Suécia e Dinamarca onde o ecossistema de start-ups e de investimentos em early stage funcionou bem.

Fonte: EBAN Statistics Compendium 2018 – *Milhões de euros

Tal como sucedeu em 2017, o principal setor de investimento em 2018 (em termos do total de euros investidos) foi novamente a FinTech. O software empresarial, no entanto, foi o setor líder em termos de rondas totais de investimentos feitos.

Ainda relativamente a 2018, destaque para o crescimento significativo dos setores da saúde, mobilidade e agrotech, respetivamente, com 11%, 8% e 7% do total dos investimentos realizados.

Outra das conclusões do relatório aponta para o facto dos BA terem investido principalmente em start-ups na fase seed (62%). Por outro lado, também houve um crescimento dos negócios em estágio pré-série.  De acordo com a EBAN, isto pode indiciar que as redes de BA conseguem acompanhar as rondas com mais frequência que nos anos anteriores.

O investimento transfronteiriço efetuado no ano passado também indica que os BA continuam a apostar em investimentos perto de “casa” isto porque têm em conta as diferenças legislativas nos diferentes ecossistemas e porque nem sempre beneficiam de incentivos fiscais se investirem no estrangeiro.

Além do investimento propriamente dito, outro aspeto relevante da performance dos BA na Europa é o número e o nível de atividade das networks de BA, cada vez mais estáveis e consolidadas.

O EBAN’s Statistics Compendium baseia-se nas informações fornecidas pelas redes europeias de business angels, federações de BANs,  Business Angels  individuais e outros investidores early stage validados que responderam ao Inquérito da EBAN, assim como em dados publicados em outras 122 fontes onde se  incluem a Dealroom.co, Zephyr (Bureau van Dijk), Crunchbase, Startup Watch, European Commission National Venture Capital Associations, fundos governamentais de coinvestimento BA e relatórios de incentivos fiscais e estudos de pesquisa nacionais e regionais sobre investimentos de BA.

Comentários