A crise da COVID-19 acelerou o nosso processo de transformação digital enquanto empresa, digitalizando-nos a um ritmo frenético para oferecermos soluções eficazes, claras e uniformes para que os nossos parceiros estratégicos e mediadores pudessem fazer face ao novo paradigma da forma mais eficiente possível.

Já antes da pandemia, 75% das nossas interações com os mediadores eram digitais. Paralelamente, os nossos clientes estavam também a mudar os seus comportamentos, tornando-se cada vez mais híbridos e elegendo, a cada ocasião, como comunicar connosco: presencialmente, através dos nossos mediadores, por aplicações digitais ou por telefone.

Mas como passámos de um processo progressivo de adaptação ao terreno digital a termos de fazê-lo em tempo recorde, devido a um contexto de crise?

Neste cenário que estamos a viver, o compromisso que temos com os nossos mediadores para apoiá-los no seu desenvolvimento foi fortalecido mais do que nunca, tendo-lhes fornecido todos os recursos para ajudá-los a prepararem-se para a nova normalidade, quase totalmente digital.

Na Liberty queremos ser protagonistas no acompanhamento digital dos mediadores, uma estratégia que, sem dúvida, nos dará uma vantagem competitiva dentro do setor e irá diferenciar-nos. Assim, na nossa área de formação de mediadores, e em coordenação com a equipa de vendas, projetamos uma oferta de acordo com as necessidades que os próprios mediadores nos transmitem através dos canais de escuta ativos que temos.

O primeiro ciclo de webinars da formação tratou as capacidades e ativos digitais no negócio, com a finalidade de reforçar práticas e conhecimentos em relação a ferramentas digitais e a marketing digital, com foco nas capacidades que o mundo digital permite no novo modelo de gestão de clientes e de acordo com a estratégia definida em cada momento.

Ou seja, apesar da atual crise de saúde, na Liberty acelerámos a evolução que já estávamos a fazer com os nossos mediadores, rumo a um perfil mais digital, omnicanalizado, dinâmico e adaptado à procura de clientes cada vez mais exigentes.

Falamos de profissionais que procuram oferecer uma experiência diferenciadora aos clientes, indo além do serviço que prestam. Nesta experiência, a tecnologia funciona como um impulsionador que nos ajuda a estarmos mais perto dos clientes e ajuda o mediador nos processos mais morosos, colocando a tecnologia ao serviço das pessoas e deixando que os mediadores se dediquem ao que melhor sabem fazer: a atenção personalizada e presencial.

Em suma, agora, mais do que nunca, queremos apoiar os nossos mediadores na sua transformação digital para que estes possam encarar o futuro com confiança.

Estamos num ponto de viragem, no qual estarmos preparados a nível tecnológico é a melhor maneira de atender às expetativas dos clientes, podendo oferecer-lhes um serviço personalizado e diferenciado. Num cenário crítico, temos de ser rápidos a reagir.

* Na Europa


Jesús Núñez gere a comercialização dos produtos através de uma perspetiva omnicanal e multimarca: Liberty Insurance na Irlanda, Liberty Seguros em Portugal e Espanha, Genesis e Regal.
Estudou Engenharia Industrial e Arquitetura Técnica e, mais tarde, tirou um MBA Executivo no Instituto de Empresa. Fez parte da equipa executiva da FedEx, foi business director da Telefónica em Espanha e na América Latina e services manager da Urbaser.
Gosta de estar ao ar livre e de passar tempo com a família. Sempre que viaja coloca na mala o seu equipamento de corrida e aproveita qualquer oportunidade para correr ou participar em provas locais.

Comentários