Dois jovens que passaram pela experiência da imigração criaram a Unshackled Ventures para ajudar imigrantes a investir no seu próprio negócio. Até agora já investiram perto de 20 milhões em start-ups fundadas por imigrantes.

A Unshackled Ventures não é uma empresa de capital de risco tradicional. Investe em start-ups fundadas por imigrantes e ajuda-os a obter os vistos de trabalho necessários para que possam criar a empresa dos seus sonhos. Até agora já anunciou um fundo de 20 milhões de dólares (17,7 milhões de euros), superando o fundo inicial de 15,5 milhões de dólares (13,7 milhões de euros). Segundo Nitin Pachisia, cofundador do projeto conjuntamente com Manan Mehtad, esta abordagem permite que os empreendedores se foquem naquilo que sabem fazer como “construir satélites ou extrair proteína das plantas” e não perderem tempo com assuntos onde não são especialistas como a imigração.

Para quem é imigrante nos Estados Unidos e tenta iniciar o seu próprio negócio, as barreiras são inúmeras e os processos morosos. Veja-se, por exemplo, o caso de Jyoti Bansal que teve que esperar quase sete anos para lançar a AppDynamics, uma empresa que depois foi vendida à Cisco por 3,7 mil milhões de dólares (32,8 mil milhões de dólares) poucos dias antes da sua oferta pública inicial.
Esta demora deveu-se ao facto do fundador ter um visto em que apenas poderia trabalhar para start-ups, mas legalmente não tinha permissão para começar o seu próprio negócio. É para este tipo de situações que a Unshackled procura soluções de imigração sob medida para cada empreendedor, explicaram os responsáveis do projeto ao Techcrunch.

Segundo um estudo de 2018 da National Foundation for American Policy, os fundadores imigrantes são responsáveis por 55% das empresas “unicórnio” dos  Estados Unidos. Empresas como Uber, SpaceX, WeWork, Palantir Technologies, Stripe, Slack, Therapeutics Moderna, Robinhood, Instacart, Houzz, Credit Karma, Tanium, Zoox ou CrowdStrike, contam com, pelo menos, um cofundador imigrante.

É também o caso da Unshackled Venture, fundada em 2015, por Manan Mehtad, filho de imigrantes, e Nitin Pachisia, imigrante da Índia. Desde então, a dupla já financiou 31 empresas com uma taxa de sucesso de 100% na aquisição de vistos para manter o talento a trabalhar nos Estados Unidos. “A diferença entre sucesso e fracasso é muitas vezes quem se conhece e quando”, comentou Manan Mehta. “Estamos a criar o melhor lugar para os imigrantes começarem as suas empresas”, frisou ao Techcrunch.

O portefólio de start-ups desta empresa de capital de risco inclui a Y Combinator, a Starsky Robótica, a Plutoshift, a Togg, a Hype e a Lily AI entre outras. E dentro do leque de empresas apoiadas pelo fundo, estas start-ups já recolherem mais de 54 milhões dólares (47,9 milhões de euros) em investimentos posteriores de grandes investidores como a First Round Capital, a NEA e a Shasta.

Além de apoiarem empresas em Silicon Valley, os investidores procuram em todo o lado imigrantes que aspiram a criar a sua própria start-up. Recentemente, participaram no Rise of the Rest (uma viagem organizada por Steve Case e JD Vance que mostra start-ups em regiões geográficas sub-representadas) e fazem visitas frequentes aos campus universitários nos Estados Unidos. Entre os partners da Unshackled estão nomes como a Bloomberg Beta, Jerry Yang’s AME Cloud Ventures e Emerson Collective.

Comentários