A Taxify fechou ontem uma ronda de investimento com a empresa mãe da Mercedes, a Daimler. Parte do investimento vai ser alocado para lançar os serviços da start-up no Porto.

Uma das maiores plataformas de mobilidade da Europa, a Taxify, fechou uma ronda de investimento de 175 milhões de dólares (≈150.5 milhões de euros) liderada pela Daimler. A homóloga da Uber na Ásia, a Didi Chuxing, também fez parte da ronda.

O investimento vai ser utilizado para continuar a desenvolver a tecnologia da plataforma e para avançar com a expansão para novas cidades inseridas no mercado europeu e africano. Uma das cidades europeias contempladas é o Porto.

“A nível local, nomeadamente, em Portugal, este investimento terá como objetivo avançar com o lançamento da Taxify no Porto e a expansão para novas cidades no futuro”, adiantou em comunicado o CEO e cofundador da plataforma, Markus Villig.

Do ponto de vista da Daimler, que vai agora juntar-se ao conselho de administração da start-up, este investimento representa a continuação da estratégia CASE implementada pela marca alemã.  A sigla refere-se a “Connected” (conectado), “Autonomous” (autónomo), “Shared & Services” (partilha e serviços) e “Electric” (elétrico).

O diretor de serviços de mobilidade da Daimler Financial Services, Jörg Lamparter, avançou em comunicado que a marca alemã já tem “quase 22 milhões de clientes a nível global com os nossos serviços de mobilidade, que incluem carsharing, plataformas multimodais e plataformas de ride-hailing. A Taxify é a adição ideal para o nosso extenso portfolio de serviços de mobilidade. Com as suas atividades de ride-hailing em rápido crescimento e com a sua extensiva presença geográfica, a Taxify enquadra-se perfeitamente com a Daimler”.

O comprometimento em manter-se relevante numa indústria que ainda não sabe qual é o próximo passo, parece ser uma das maiores preocupações da empresa mãe da Mercedes. Só no ano passado, a empresa adquiriu três start-ups do mundo da mobilidade e, entre o ano passado e este, a Daimler já investiu em mais de 10 start-ups.

“Estamos numa missão para construir o futuro da mobilidade e é fantástico ter o apoio dos investidores da Daimler e da Didi. O número de viagens na Taxify cresceu dez vezes mais no último ano, mesmo considerando que os nossos principais mercados são a Europa e África, que têm os mercados mais complexos de ride-hailing no mundo. Hoje, mais de 10 milhões de pessoas usam Taxify. Mas isto é só o começo, uma vez que mais e mais pessoas estão a trocar a opção de ter carro próprio pelo transporte por pedido”, acrescenta o CEO da Taxify.

Recorde-se que a Taxify, que foi lançada em 2013, na Estónia, está presente no mercado português desde janeiro deste ano.

Comentários