Este mês lançámos o desafio à Base Rural de Guimarães de eleger a start-up do mês. A escolhida foi a Mercearia do Zé que não é uma mercearia qualquer. Neste espaço só existem produtos de pequenos produtores locais, incluindo aqueles que são comercializados pelos empreendedores que estão alojados na incubadora.

Nome da Star-up: A Mercearia do Zé que tem como lema “Pequenos Produtores, Grandes Produtos”.

Fundadora: Carla Lemos

Atividade:  “Este projeto engloba um conceito crescente na Europa, de uma mercearia moderna, em que se pretende criar uma loja que reflita a antiguidade e a modernidade, optando por materiais nobres como a madeira e a utilização de mobiliário clássico transformado numa contemporaneidade, dando-lhe um cariz atual e irreverente e não afetando os vizinhos nem os utilizadores da rua. Pretendemos criar uma Mercearia em que o cliente português ou estrangeiro se sinta em casa”, pode ler-se na página de Facebook do projeto.

Neste espaço, é dada especial preferência aos produtos de pequenos produtores locais, que vão desde as conservas, aos queijos, à charcutaria, aos azeites, aos vinhos, passando pelo mel, compotas, hortícolas, fruta, bolachas e terminando nos doces conventuais.

Para acompanhar, na Mercearia do Zé existe ainda o pão artesanal e a broa da região. O artesanato também não foi esquecido, com a região de Guimarães e do Minho a estarem representada. Desde a famosa renda de bilros, passando pelo bordado de Guimarães e terminando na olaria, resultado de uma parceria com a Cercigui de Guimarães e a Cruz Vermelha de Guimarães, tudo neste espaço foi pensado ao pormenor.

Porque “na Mercearia do Zé escolhe-se das prateleiras, para se ser servido à mesa, para levar para casa ou oferecer aos nossos amigos”, explica Carla Lemos, a fundadora do projeto.

Volume de negócio: “Todos nós sabemos que os primeiros meses são de investimento, na fase inicial com um volume mais significativo, mas nos meses seguintes com investimentos contínuos até atingir a sustentabilidade. A procura constante de novos produtos e o tentar comercializá-los faz com que a A Mercearia do Zé esteja em constante procura e investimento, certos que o retorno será garantido para iniciarmos a segunda fase do projeto”, explica Carla Lemos.

Plano de negócios: No mercado local não existe concorrência direta, ou seja, espaços comerciais com o mesmo conceito. No entanto, “não podemos deixar de fazer referência aos vários concorrentes indiretos, que comercializam produtos substitutos e que atuam numa lógica de venda em quantidade”, refere a empreendedora, frisando que “queremos ser uma referência local dos produtos de qualidade da nossa região, como do pais. A Mercearia do Zé não vende produtos importados”.

Porque merece destaque: Segundo a incubadora Base Rural de Guimarães (IBR), “a Mercearia do Zé foi o primeiro de vários projetos de empreendedorismo inaugurado no âmbito da IBR Guimarães, em pleno coração da cidade. A Mercearia do Zé situa-se na rua D. João I, numa das ruas do Centro Histórico de Guimarães que tem vida, crianças a jogar à bola na rua, vizinhos a falarem na rua nas varandas e a ajudarem-se uns aos outros”.

Ainda de acordo com a IBR, “a ideia surgiu e foi maturada no cumprimento de todas as fases do Programa de Incubação (Oficina do Empreendedor, Elaboração do Plano de Negócios e Networking e Cooperação). Paralelamente é um projeto que partilha o espírito de cooperação com outros empreendedores da IBR, uma vez que comercializa, por exemplo, em exclusivo o Doce de Calondro Terras de Guimarães, da empreendedora Isabel Ferreira, produtora agrícola local que produz e transforma um produto local – O Calondro”.

Comentários