A start-up espanhola do setor imobiliário anunciou a sua entrada no mercado português. Vai atuar nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto e assume a designação de Housefy.

A catalã Housfy, uma proptech sedeada em Barcelona e fundada em 2017, divulgou esta semana os seus planos de expansão internacional nos quais Portugal está incluído.

A informação foi avançada na imprensa internacional e refere que depois de Espanha e Itália, Portugal é o terceiro país aposta desta proptech que alega vender apartamentos através da sua plataforma em apenas 60 dias, e sem cobrar comissões, apenas uma taxa fixa. No mercado português, a empresa chama-se Housefy, o que, aliás, também acontece no mercado italiano, e irá atuar nas regiões de Lisboa e Porto, os principais mercados nacionais de venda de casas.

Albert Bosch, CEO e fundador da Housfy, afirmou em declarações à Eu-Startups, que  “o mercado imobiliário em Lisboa e no Porto é muito ativo, e que os consumidores portugueses e espanhóis são semelhantes”. Estes fatores, acrescentou, levam-no a crer a “receção do nosso modelo de negócio será a mesma ou mesmo melhor do que na Espanha. No primeiro ano, o objetivo é alcançar 300 propriedades no nosso portefólio e fechar 100 transações”.

A par desta expansão para Portugal, a start-up proptech também quer aumentar a sua presença em Itália, e juntar as cidades de Turim, Genova, Bolonha e Florença às atuais Milão e Roma, e, além disso, também já está a olhar para o mercado francês.

Refira-se que ainda em maio, a Housfy levantou seis milhões de euros numa ronda de financiamento que envolveu a DN Capital, a Torch Capital, a Seaya Ventures e a Cathay Capital. Desde o seu lançamento, a start-up vendeu mais de 2 mil casas e atualmente detém 5% da quota de mercado em Madrid e Barcelona, que a coloca entre as cinco melhores agências imobiliárias espanholas, refere a imprensa local.

Comentários