Portugal continua a privilegiar as equipas de fundadores mistas em comparação com os restantes mercados europeus, aponta o mais recente relatório da Atómico, que coloca o nosso país no topo dos que apresentam uma maior taxa de emprego no setor das tecnologias.

O volume de negociações baixou em toda a Europa este ano, mas aumentou 3,4 vezes face ao ano passado em Portugal. Enquanto no primeiro semestre de 2022 registaram-se 133 rondas de financiamento de 100 milhões de dólares (95 milhões de euros), ultrapassando os totais dos anos de 2019 e 2020 juntos, no segundo semestre realizaram-se apenas 37 rondas de financiamento desta dimensão, revela o relatório sobre o Estado da Tecnologia Europeia 2022, que acaba por ser revelado pela Atómico.

De acordo com dados recolhidos pela Atomico nos 41 países europeus, em junho de 2022, o volume de investimento em tecnologia europeia era 4% superior face ao período homólogo de 2021. No entanto, “a queda acentuada no capital de investimento no segundo semestre do ano indica que o investimento total ficará aquém do volume recorde do ano passado (100 mil milhões de dólares), ficando-se pelos 85 mil milhões”.

Apesar deste ser considerado o ambiente macroeconómico mais difícil desde a crise financeira global, o investimento deste ano será mais do que o dobro de 2020 (38,8 mil milhões de dólares, o que corresponde a 37 mil milhões de euros), conclui a análise.

Tendo em conta as atitudes e experiências de milhares de fundadores, operadores e investidores europeus analisados no estudo, o relatório destaca alguns desafios, nomeadamente:

  • A contração dos mercados públicos e privados: 
    • As empresas de tecnologia europeias nos mercados públicos e privados viram cerca de 400 mil milhões de dólares (381 mil milhões de euros) do seu valor cair desde o início de 2022.
    • O valor total deste ecossistema desceu para 2,7 mil milhões de dólares (2,6 mil milhões de euros), face a um pico de 3,1 mil milhões de dólares (3 mil milhões de euros) no final de 2021. No entanto, este mesmo valor não deixa de ser 5 vezes superior aos valores de 2015.
  • O volume de negociações baixou na Europa e aumentou em Portugal:
    • No primeiro semestre de 2022, registou-se um total de 133 rondas de financiamento de 100 milhões de dólares ou mais, ultrapassando os totais dos anos de 2019 e 2020 juntos. No entanto, com apenas 37 rondas de financiamento desta dimensão no segundo semestre do ano, estamos perante uma quebra generalizada do número de grandes rondas de financiamento.
    • 82% dos entrevistados fundadores neste estudo acreditam que é agora mais difícil aceder a capital de risco do que há 12 meses.
    • Ao contrário desta tendência, em Portugal o nível de investimento aumentou 3,4 vezes face ao ano passado.
  • Os layoffs têm sido inevitáveis, mas Portugal tem dos índices mais elevados de emprego no setor da tecnologia:
    • Portugal é dos países com maior taxa de emprego no setor das tecnologias, com mais do dobro da proporção comparativamente aos restantes mercados europeus.
    • Até à data, foram despedidos mais de 14 mil trabalhadores de empresas sediadas na Europa, equivalente a 7% do total de layoffs de trabalhadores a nível mundial.
    • Na maioria dos países europeus, o índice de oportunidades de emprego em tecnologia categorizadas como “difíceis de preencher” aumentou em 2022 em comparação com 2021. Portugal é o único caso atípico onde se registou um declínio nos empregos “difíceis de preencher”, embora partindo de um ponto de partida elevado de 57%.
  • Portugal continua a ter o melhor índice de diversidade de género na Europa:
    • Portugal tem a proporção mais elevada de equipas de fundadores mistas com 17%.
    • Analisando as rondas de financiamento atribuídas a equipas exclusivamente masculinas versus femininas e mistas, na Europa há 4,3 vezes mais financiamento para homens do que para mulheres.
    • Portugal tem dos melhores indicadores e está abaixo da média europeia com um índice de 3.5.
  • A janela das IPO fechou (e não foi só na Europa):
    • Registaram-se apenas três IPO no setor da tecnologia, com uma capitalização de mercado superior a mil milhões de dólares na Europa e nos EUA em 2022 (duas IPO na Europa).
    • Se compararmos este número com as 86 registadas nesse grande ano, que foi notável em termos de IPO estamos perante uma redução de 30x no volume de IPO.

Ainda segundo o relatório, existem várias tendências que apontam para uma série de oportunidades no setor da tecnologia na Europa em 2023:

  • O ecossistema está a amadurecer rapidamente:
    • Apesar da saída de alguns investidores, o ecossistema tecnológico europeu continua a beneficiar de um conjunto diversificado de investidores experientes e bastante ativos. Existem mais de 3.200 instituições únicas que participaram em, pelo menos, um investimento na Europa em 2022 até ao momento.
    • O talento também está a ser reciclado e transferido de uma geração de empresas para a próxima, tendo em conta que 55% dos fundadores e 59% dos líderes em 2022 têm experiência multigeracional, enquanto 22% dos fundadores e líderes têm experiência de trabalho em empresas avaliadas em mais de mil milhões de dólares.
    • Atualmente, o grupo da segunda década de 2000 de novos fundadores que “se formaram” em unicórnios de sucesso é de quase 700 – cerca de 25 vezes mais do que o número de novos fundadores na primeira década de 2000.
  • Existe uma percentagem recorde de capital disponível e pronto para ser aplicado:
    • No final de 2021, os investidores europeus de capital de risco e de crescimento tinham capital disponível na ordem dos 84 mil milhões de dólares  (80 mil milhões de euros), um aumento de quase 3 vezes em cinco anos.
    • É de esperar um abrandamento no que respeita à rápida aplicação de capital em 2023.
  • O compromisso com o planeta e o sentido de missão continuam no topo da agenda:
    • A nível global, a Europa é agora responsável pela maior fatia (51%) de todo o investimento em empresas de tecnologia com sentido de missão e em fase inicial, tendo em conta o capital investido em rondas de financiamento até 20 milhões de dólares.
    • Este ano, as empresas Planet Positive captaram15% do total do financiamento europeu até agora, uma subida de 12% face ao ano passado. Até o momento, isto representa 10,3 mil milhões de dólares (9,8 mil milhões de euros) investidos em empresas de tecnologia com o lema Planet Positive.
    • Existem agora 42 unicórnios europeus classificados como empresas com sentido de missão, representando assim 12% de todos os unicórnios europeus.
  • O setor da tecnologia da Ucrânia tem sido fundamental para a economia do país:
    • A indústria tecnológica ucraniana refletiu a maior resiliência europeia, apesar da guerra. Nos primeiros oito meses de 2022, as TIC na Ucrânia cresceram 16% face ao ano anterior. É a única indústria de exportação que gera rendimentos em moeda estrangeira de forma estável para a Ucrânia.
    • A maioria das empresas de TIC ucranianas (85%) regressou aos indicadores pré-guerra e 77% das empresas de TIC do país atraíram novos clientes desde o início da guerra.
    • E apesar da guerra uma empresa ucraniana qualificou-se como unicórnio: a Unstoppable Domains que cria sites incensuráveis usando domínios protegidos por blockchains.
    • Esse crescimento reflete a força mais ampla do ecossistema de start-ups ucranianas, que atraiu 241 milhões de dólares (milhões de euros) até ao final de outubro. No contexto mais amplo da região da Europa Central e Oriental, esta situação coloca a Ucrânia em sexto lugar global em termos de investimento em start-ups.
Comentários