Opinião

Novo ano, novo tempo, novo momento

Daniela M. Meireles, empreendedora e business advisor

2020 foi um ano que tomou o mundo inteiro de surpresa, mudou completamente a nossa forma de viver, trouxe grandes ensinamentos; para alguns, duras lições, para outros grandes voos. Obrigou a grande maioria de nós a se reinventar, a se reposicionar e a olhar para dentro, para o que de fato realmente importa.

2021 começa munido de muita esperança e com a expetativa de que agora mais preparados e munidos da vacina possamos realizar as nossas metas, objetivos e sonhos que ficaram para este ano.

No Brasil, as start-ups que têm base tecnológica, negócios que já nascem no meio digital, conseguiram manobrar muito bem a crise. Apesar da pandemia do ano passado, as start-ups brasileiras receberam 450 aportes num total de US$ 3,1 bilhões em investimentos, segundo dados do Distrito* (total superior ao realizado em 2109). Muitos negócios sofreram, mas depois tiveram uma boa retoma no segundo semestre do ano passado.

Segundo dados do Ministério da Economia, mesmo durante a quarentena, entre maio e agosto de 2020, foram abertos mais de 782 mil negócios.

Para aqueles que perderam o emprego ou tiveram que fechar as portas do seu negócio, vale lembrar que muitas vezes o que parece ser o fim, pode ser o início de um grande começo. Por isso, a fim de motivá-los e inspirá-los  fiz uma pesquisa e listei 12 setores que estarão em alta este ano para que você possa fazer de 2021 um grande ano.

Os setores que devem mais crescer este ano estão ligados à tecnologia, delivery e vida saudável. Entre eles:

1) Mercado Pet  –  segundo o Instituto Pet Brasil, esse mercado movimentou mais de R$ 34,4 bilhões em. Há diversas opções de negócios desde marca própria de roupas, comidas saudáveis, brinquedos educativos, ração, serviços de passear, adestrar, cuidar e hospedar pets, festas e até cerveja para cachorros.

2) Delivery de comida – as principais aplicações de entrega de comida (Rappi, ifood e Uber Eats) cresceram 103% no primeiro semestre ano passado. Micro e pequenas empresas dedicadas à produção e delivery de marmitas e refeições deverão estar em alta este ano. De acordo com a consultora KaryMuniz, do Sebrae-SP, uma microempresa de fornecimento de marmitas pode gerar margens de lucro acima de 20%. Um bom diferencial nesse ramo pode ser a oferta de alimentos para nichos específicos como idosos, vegetarianos, veganos, pessoas com restrições alimentares ao gluten, lactose, diabéticos, etc.

3) Venda de alimentos – além de marmitas, outros nichos no segmento de alimentação que podem ser bem explorados são os doces, bolos, sanduíches gourmets, comidas saudáveis, gastronomia internacional, entre outros. Afinal, apesar de qualquer crise, todo mundo precisa de se alimentar.

4) Cosméticos naturais e artesanais – o consumidor brasileiro está à procura de produtos naturais, sustentáveis e sem adição de elementos nocivos ou ingredientes sintéticos na sua composição. Esse é um segmento com grande potencial de crescimento. De acordo com estudo da plataforma Teads, 62% dos brasileiros acredita que os cosméticos deveriam ter na sua composição apenas ingredientes naturais e orgânicos.

5) Aulas particulares – nos dias de hoje com o amplo uso de reuniões online e plataformas de vídeo, é possível dar aulas online de dança, astrologia, artesanato, pintura, culinária, piano, maquilhagem, etc. Mesmo que você esteja em quarentena pode manter o seu trabalho oferecendo aulas online. Quando a pandemia chegar ao fim, então pode também oferecer aulas locais e presenciais. A grande vantagem das aulas online é você poder estender o seu conhecimento a qualquer pessoa no mundo que disponha de internet e entenda sua língua. O seu mercado se torna muito mais amplo. Aproveite essa vantagem.

6) E-commerce de informática – focado na venda de computadores e notebooks prontos, peças e acessórios, ou na montagem de computadores sob encomenda. Podem oferecer-se como diferencial: serviços de montagem, certificados de qualidade, garantias avançadas e produção de conteúdo sobre informática.

7) Serviços de locação de carros – Compartilhar carros tornou-se arriscado devido à pandemia, o que fez esse segmento ganhar força. Além disso, segundo uma pesquisa da Deloitte, 56% dos jovens brasileiros (gerações Y e Z) consideram dispensável possuir um automóvel no futuro.

8) Infoprodutos – criação de curso online, video aulas, ebook, entre outros. O ramo de produção de infoprodutos é bem grande e altamente escalável. Se você tem conhecimento profundo sobre algo, essa pode ser uma boa oportunidade de negócio este ano. Você pode monetizar o conteúdo através do Youtube, Hotmart e Monetizze.

9) Loja virtual – possui um custo de investimento bem menor que o de uma loja física. Esse ramo, além de ter crescido mais que 50% nos primeiros meses de 2020, deve crescer ainda mais este ano. Muitas pessoas que ainda tinham receio de comprar online viram-se obrigadas a se familiarizarem com o comércio eletrónico durante o período de “lockdown”. Muitos, pela primeira vez, compraram livros, presentes, roupas, produtos para casa. Segundo uma pesquisa realizada pela consultoria IDC, 52% dos brasileiros entrevistados pretendem fazer mais compras online.

10) Clube de assinatura – Hoje existem mais de 4 mil clubes que em 2019 movimentaram mais de R$ 1 bilhão. Foi outro setor que teve um grande crescimento na pandemia. Entre os setores que mais se destacaram estão: livros (27%), bebidas (18%), alimentos (17%), cuidados pessoais (12%), pet (11%), outros (15%). Pode-se fazer um clube de assinatura de cervejas, vinhos, doces, maquilhagem, cápsulas de café, meias, produtos naturais, ração para pet, cápsulas de café. Pense num nicho que ainda não foi explorado e fature com pagamentos recorrentes.

11) Games para telefone – esse foi um dos mercados que explodiu durante a pandemia com faturação recorde de R$ 851 bilhões em 2020, de acordo com a Newzoo, empresa especializada em compilar dados. Você pode desenvolver um game e publicar a app no Google Play, Apple Store e Windows Phone Store. Quem sabe o seu game não vira febre entre os adolescentes?

12) Negócios imobiliários – se gosta do ramo de imóveis, esse pode ser um bom momento para empreender nele. A pandemia valorizou o lar, a casa, o que acabou contribuindo para um salto de 70,1% nos financiamentos imobiliários em 2020 em comparação com setembro do ano anterior. (Dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança – Abecip).

Bom, meu caro leitor, termino a minha primeira coluna deste ano desejando um 2021 de muita luz e amor. Luz para que ilumine os seus pensamentos, o seu caminho, a sua vida e toda humanidade. Amor, para que floresça em seu coração. Cuide-se ao máximo e cuide também do próximo (família, amigos, vizinhos, colegas e amigos). Que esse amor se estenda ao seu trabalho para que possa impactar as pessoas e empresas com as quais faz negócio de forma positiva.
Por fim, mas, não menos importante que esse amor se estenda também às causas sociais (pergunte-se o que você deseja melhorar no mundo) e às causas ambientais (afinal, a mãe natureza é a maior riqueza que todos temos, e planeta temos apenas um).

Que este ano, tenhamos todos amadurecido e tomado consciência de que a paz e a saúde do outro nos importa e impacta diretamente nas nossas vidas, na vida de todos nós.

É um novo tempo, um novo momento. Momento de começarmos um novo mundo. Um mundo onde os negócios e o sucesso devem andar de mãos dadas com o bem-estar da sociedade e a preservação do meio ambiente (nosso habitat), um mundo onde haja mais colaboração e mais fraternidade.

*Maior ecossistema independente de start-ups do Brasil.

Comentários
Daniela Meirelles

Daniela Meirelles

Daniela Meirelles é empreendedora, business advisor, mentora de start-ups e palestrante (Branding, Empreendedorismo e Liderança). Foi fundadora da DBRAND, consultora de branding, marketing e inovação; fundadora/CEO da Yuppy, start-up de media, marketing e eventos; mentora nos programas Startup Rio, Startup Weekend e Founder’s Institute; palestrante; e também atua na organização do II Chapter da Singularity University, no Rio de Janeiro. Tem 15 anos de experiência em marketing, branding e desenvolvimento de novos negócios. Desenvolveu inúmeros projetos para pequenas, médias e... Ler Mais..

Artigos Relacionados

Ricardo Tomé, diretor-coordenador da Media Capital Digital
Jason Nadal, lead innovation and evangelist da Microsoft Portugal