O ano de 2020 começou ou melhor dizendo quase, pois ainda ontem foi Carnaval. Após a folia, então sim, o ano oficialmente começa em terras brasileiras. Mesmo, o ano começa oficialmente em março; em 2019 foram registados 210 investimentos em start-ups brasileiras, totalizando 8,7 bilhões de reais no ecossistema empreendedor do país.

Com 11 unicórnios, o Brasil tem atraído a atenção de fundos do mundo inteiro. Hoje, o país conta com cinco grandes centros de empreendedorismo: Rio de Janeiro, São Paulo, Florianópolis, Belo Horizonte e Recife. Um dos grandes desafios do ecossistema empreendedor tem sido a falta de capital humano, pois há muitos talentos que estão fora destas capitais.

Se é empreendedor e/ou procura empreender e tem uma ideia de negócio inovadora, a boa notícia é que há vários programas abertos; então a hora é agora, aproveite! A StartupRIO, programa de aceleração do Estado do Rio de Janeiro, possui uma equipa de mentores da melhor qualidade (a qual tenho muito orgulho de fazer parte), um espaço de coworking super giro e oferece recursos de até 6 milhões de reais. O prazo para inscrições termina às 16 horas do dia 31/03/2020. Confira mais informações no programa.

Já para as empreendedoras que estiverem em São Paulo, sugiro inscreverem-se no Speed Mentoring Woman Tech 2020. O programa é gratuito e conta com 40 horas de atividades presenciais e mentoria na Escola de Negócios do Sebrae. As inscrições podem ser realizadas até dia 10 de março.

Uma grande novidade que deverá impactar o mercado como um todo, do financeiro ao retalho, da rotina das pessoas, empreendedores à liquidez das empresas, é o PIX, sistemas de pagamentos instantâneos lançado pelo Banco Central. Através desta iniciativa, será possível realizar transferências de dinheiro entre pessoas e estabelecimentos em segundos, 24h por ida, em qualquer dia da semana. A previsão é que esta nova forma mais ágil de pagamento tenha início em novembro.

Como também adoro descobrir empresas inovadoras,  aproveito para partilhar aqui algumas :

A Recofee juntou sustentabilidade, beleza e originalidade à sua linha de colares, pulseiras, bandejas, relógios e até revestimentos de parede produzidos com borras de café (aquele pó de café que sobra no coador e é descartado após passar pela água fervente). Criada por Ana Paula Naccarato, a empresa produz 70 produtos que são desenvolvidos em um ateliê com sede em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

A Revoada também possui a sustentabilidade no seu DNA e foi buscar a lixo a sua matéria-prima. A empresa produz roupa e acessórios de moda com câmaras de pneus não utilizados em oficinas e nylon de guarda-chuvas e sombrinhas recolhidos em centros de triagem. Adriana Tubino e Itiana Pasetti tinham o sonho de criar produtos com impacto positivo. Em sete anos, a empresa já retirou 17 toneladas de câmaras de pneu do meio ambiente, reutilizou 16 mil unidades de guarda-chuvas, gerou lucros para 300 famílias e fatura 1 milhão de reais por ano.

Uma outra empresa que merece destaque é a DA Minha Cor, que produz toucas com 100% de silicone para quem tem cabelo afro. Após deixar o emprego numa multinacional, Mauricio Delfinose apercebeu-se que não existiam toucas de natação para pessoas com cabelos afro, de tranças rastafáris a blackpower. O produto é exportado para França, Moçambique, Portugal e Estados Unidos.

Por fim, desejo que esse ano seja um grande ano para o ecossistema empreendedor no Brasil, em Portugal, no mundo todo. Que 2020 seja um grande ano para todos nós!

 

 

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Daniella Meirelles é fundadora da DBRAND, consultora de branding, marketing e inovação; fundadora/CEO do GetYuppy, start-up de media, marketing e eventos; mentora nos programas Startup Rio, Startup Weekend e Founder’s Institute; palestrante; e também atua na organização do II Chapter... Ler Mais