Ser empreendedor está “na moda”, no entanto não tente seguir este tipo de carreira pelas razões erradas. Percorra a lista abaixo e encontre alguns dos piores motivos para seguir por esta direção.

O dinheiro, as férias ou tornar-se famoso são algumas das razões que figuram na lista abaixo para não seguir este estilo de vida. As pessoas tendem apenas a ver o sucesso umas das outras sem pensar no trabalho, dedicação ou esforço que está por trás deste feito. Metaforicamente, o sucesso é como um iceberg: o que as pessoas veem e que está à vista de todos, a ponta do iceberg fora de água, é o sucesso. No entanto, tendem a ignorar o que está debaixo de água, o esforço, a dedicação, resiliência, trabalho árduo e sacrifícios. Esta é a vida de um empreendedor.

Há variadíssimas boas razões para se tornar num empreendedor. Vivemos num mundo que celebra o empreendedorismo. Governos e instituições apostam cada vez mais em pequenas empresas. Na China, por exemplo, já existem mais de cinco mil incubadoras para PME (pequenas e médias empresas), muitas delas, financiadas com dinheiro do Estado.

Tal como há boas razões, também há más razões para decidir dedicar-se a este estilo de vida. Percorra a lista abaixo e conheça quatro das piores razões para se tornar num empreendedor, segundo o Entrepreneur.

1. Ficar rico

Com a quantidade de pessoas que ganharam fortunas através das suas microempresas, esta pode parecer uma razão válida e coerente para seguir este tipo de carreira. Como dono da empresa terá sempre direito a uma boa fatia do lucro que for gerado – ou de todo o lucro se não tiver sócios -, no entanto, nada pode garantir que o negócio será lucrativo.

Ser motivado apenas pelo dinheiro vai interferir com a sua tomada de decisões a longo prazo e prejudicar a empresa. A frustração e insatisfação com o seu negócio também estão intimamente ligadas ao empreendedorismo, visto que, o mais provável, é não conseguir atingir os números com que sonhou. Se a sua intenção é receber um “cheque chorudo” em troca do seu trabalho, não opte por seguir este estilo de vida.

2. Ficar famoso

Quando entra no mundo do empreendedorismo há sempre a possibilidade de se tornar famoso. Principalmente se a sua estratégia de marketing passar por ter visibilidade nos media. Empreendedores como Mark Cuban, Richard Branson, Mark Zuckerberg ou Elon Musk têm bastante cobertura mediática e tornaram-se celebridades conhecidas no mundo inteiro.

Se seguir a carreira de empreendedor é apenas um meio para se tornar famoso, não é boa ideia canalizar os seus esforços neste tipo de trabalho. Não só vai perder tempo com a sua equipa ao colocar o branding pessoal à frente do trabalho, como a sua ideia de empreendedorismo está, muito provavelmente, distorcida da realidade

3. Férias ilimitadas

Parte de ser empreendedor passa por organizar a sua própria agenda. Criar os próprios horários e agendar os dias de trabalho. Tecnicamente, pode ficar de férias o tempo que quiser. Não se pode esquecer é que o sucesso da sua empresa depende muito do esforço que lhe dedicar.

Se passar a maioria do tempo – dito produtivo – a viajar, não vai ter tempo para se dedicar ao seu negócio. E se tirar dias de folga forem a única coisa em que pensa enquanto dono de uma empresa, está claramente a subestimar a quantidade de trabalho que é necessário para levar um negócio ao sucesso. Concluindo, se a sua finalidade é criar um negócio estável que lhe dê a oportunidade de viajar em lazer quando lhe apetecer, o mais provável é não ter dias livres de trabalho nos primeiros anos.

4. Fazer as outras pessoas felizes

O subtítulo pode parecer estranho, mas eis a sua razão: alguns empreendedores querem mostrar ao mundo o seu otimismo, querem criar uma equipa excelente, cuidar dos seus empregados e fazer os clientes felizes. Por outras palavras, tornar o mundo melhor enquanto cá estão.

Infelizmente para estes aspirantes a empreendedores, o seu otimismo e força de tentar agradar a todos pode levar a más decisões. A falta de “pulso firme” numa start-up, por exemplo, pode ser a receita perfeita para o desastre. Manter trabalhadores que não são produtivos em vez de os despedir ou continuar a vender produtos a um cliente que não traz lucro são apenas dois cenários. Como dono de uma empresa, o principal objetivo deveria ser tomar decisões que beneficiem o negócio, por mais complicadas que estas sejam.

 

Há muito boas razões para se tornar num empreendedor. Analise primeiro quais são as suas intenções na criação de uma empresa e se é forte emocional e psicologicamente para gerir um negócio e tomar as decisões certas. Tenha sempre em consideração que o mundo do empreendedorismo não é fácil. Se não está disposto a abdicar da sua vida pessoal e do seu tempo em prol da empresa, o melhor é caminhar na direção oposta.

Comentários