Chama-se The Coffee Match e é uma aplicação brasileira que promove networking enquanto bebe um café.

A start-up brasileira The Coffee Match quer revolucionar a forma como se faz networking naquele mercado. Lançou uma aplicação que funciona como um Tinder para negócios. Ou seja, aproveitando a prática recorrente de marcar reuniões com a frase “vamos tomar um café”, o que muitas vezes faz dos cafés verdadeiras salas de reunião, a start-up, fundada pelos empreendedores Nicolas Romano e Fernando Epelman, criou uma aplicação que agiliza o networking entre as pessoas.

“Quando se tem um projeto inicial é muito difícil encontrar cofundadores, equipa e investidores para o seu negócio”, explicou Nicolas Romano, à publicação brasileira StartSe. Foi a partir desta constatação que o empreendedor pensou: por que não conectar pessoas que procuram projetos ou pessoas que já tem as suas ideias e querem tirá-las do papel?  “A forma seria lúdica e agradável, através de cafetarias como Starbucks, que proporcionam wifi e um local seguro”, referiu.

Foi assim que nasceu a The Coffee Match que funciona como um “Tinder para novos negócios”. A aplicação funciona de forma simples: o utilizador faz o seu perfil, colocando a sua informação, os seus interesses e a localização. A partir daí a app mostra-lhe as pessoas com interesses semelhantes na mesma área geográfica e dá-se o “match”. Depois é só combinar o encontro num dos cafés parceiros da The Coffee Match onde, para além de puderem vir a fazer negócio, ainda têm um café de oferta. “Descobri que 85% dos novos negócios são construídos por networking”, afirmou o CEO da The Coffee Match àquela publicação.

O modelo de negócio implementado pela start-up tem por base uma rede de cafés que são parceiros do projeto e que oferecem café aos clientes. As vantagens são evidentes já que, na maioria os casos, os participantes nas reuniões não se limitam a consumir apenas um café. Por outro lado, ao ligar-se aos cafés, a aplicação disponibiliza informações sobre os clientes, como a faixa etária ou os costumes, que os estabelecimentos podem cruzar com os seus próprios dados. As empresas pagam um valor previamente determinados à The Coffee Match pelo big data disponibilizado.

De acordo com Nicolas Romano, a start-up está a colocar as cafetarias literalmente no mundo digital, construindo um sistema de pagamentos, criando um programa de fidelidade, fornecendo big data e principalmente fazendo marketing digital.

Pelo facto de ter sido lançada primeiro nos Estados Unidos, onde a parceria para os encontros de trabalho foi definida nos Starbucks, a The Coffee Match tem um site em inglês. Por agora, a aplicação está disponível apenas para iOS, estando prevista para breve a versão Android. Para implementar a start-up, os seus fundadores recorreram a capital próprio e a investimento realizado por business angels. Neste momento, estão a tentar captar mais investimento para gerar tração, aumentar a equipa e investir em marketing.

Comentários