Com uma abordagem people-first, a Unit4 acredita na qualidade do talento português e quer continuar a crescer no mercado nacional. Em entrevista ao Link To Leaders, Mike Ettling, CEO da Unit4, revelou que estão a contratar e que mantêm a aposta de construir soluções de software com as pessoas em mente.

Empresa do setor tecnológico, a Unit4 atua no desenvolvimento de software, assume-se como uma comunidade global de clientes, parceiros, investidores e equipas que operam em 25 países, entre os quais Portugal onde está presente há 16 anos. Aqui tem uma equipa de 100 profissionais, funciona como um centro multidisciplinar e quer continuar a reforçar as operações.

Há três anos na liderança da empresa, e responsável por supervisionar a reinvenção da plataforma ERP para um serviço estruturado na cloud, Mike Ettling, CEO da Unit4, destaca o talento tecnológico que existente no nosso país e as oportunidades de crescimento que encontrou.

A Unit4 está presente em Portugal desde 2006. Qual é o balanço da empresa nestes anos?
Lisboa é um local que conhecemos bem e onde estamos empenhados em crescer. Para além de uma cidade cheia de cultura, oferece uma reserva diversificada de talentos, com muitos licenciados interessados em desenvolverem as suas carreiras e competências na indústria tecnológica. Com a grande cultura de Lisboa e a diversidade de talentos, a Unit4 criou um polo multidisciplinar em Lisboa – desde a engenharia até às finanças, as nossas equipas de sucesso e muito mais – onde há uma enorme oportunidade de crescimento, tanto para os nossos colaboradores como para o nosso negócio.

No início deste ano, anunciou o reforço da operação em Portugal. Como vai o processo?
Começámos o ano com cerca de 200 pessoas a trabalhar nos escritórios de Lisboa e, desde então, já aumentámos em cerca de 120. Temos também cerca de 70 posições em aberto neste momento, pelo que estamos a atravessar uma fase de forte crescimento.

“Temos também cerca de 70 posições em aberto neste momento (…)”.

Como empresa tecnológica, que desafios enfrenta a Unit4 na contratação de talentos?
O mercado de recrutamento para a área das tecnologias em todo o mundo é, evidentemente, competitivo, mas, enquanto empresa centrada nas pessoas, gostamos de pensar que temos uma vantagem. O facto de sermos centrados nas pessoas significa que ajudamos os nossos colaboradores a fazerem um trabalho relevante e com significado. Estamos 100% concentrados na construção de uma cultura em que todos participam e onde todos se sentem verdadeiramente valorizados. Significa também que temos uma cultura de respeito em que  a diversidade e a inclusão são da maior importância.

Como é que isso se manifesta?
Temos implementado vários programas para apoiar os nossos funcionários no seu trabalho e bem-estar. Lançámos uma política que não estabelece limites para a quantidade de férias que os funcionários tiram e a nossas iniciativas Flex4U e Ethos permitem que os funcionários construam os seus compromissos de trabalho em torno da vida familiar e doméstica.

O que distingue o mercado holandês (o país de origem da Unit4) do português? Prós e contras?
A Unit4 foi fundada por Chris Ouwenga juntamente com 11 colaboradores, em Sliedrecht, na Holanda ocidental, em 1980. Como fundador da empresa nunca imaginou que a Unit4 se tornaria naquilo que é hoje – uma comunidade global de clientes, parceiros, investidores e equipas que operam em 25 países.

Cada mercado tem as suas próprias nuances e, com a nossa própria equipa global e culturalmente diversificada, compreendemos como operam diferentes empresas, culturas e países, de modo a podermos apoiar a produtividade e a eficiência organizacional dos nossos clientes com serviços em todo o mundo.

Qual é a estratégia para Portugal nos próximos dois anos? Áreas prioritárias?
Tal como referido, chegámos a Lisboa há vários anos – estamos a crescer e as funções corporativas da nossa equipa em Portugal representam quase todas as áreas de negócio. É um local que conhecemos e onde estamos focados em dar maior ênfase a este escritório como parte da nossa estratégia ampla de digitalização de empresas.

Estamos a utilizar tecnologia – tanto da Unit4, como ferramentas líderes da indústria da Gainsight, ServiceNow e Microsoft – para impulsionar a eficiência de todo o negócio, com uma equipa talentosa que está a proporcionar uma experiência de excelência aos clientes e aos nossos empregados.

“A nossa visão é sermos reconhecidos como um negócio “centrado nas pessoas”.

Afirma construir software empresarial que transforma o trabalho e o que as pessoas sentem sobre ele. De que forma?
A nossa visão é sermos reconhecidos como um negócio “centrado nas pessoas”. Em parte, isto é lógico, porque estamos concentrados em indústrias de serviços como, por exemplo, consultoria de gestão, serviços de TI, arquitetura e engenharia, sem fins lucrativos, setor público e ensino superior. No entanto, isso é ainda mais motivado pela minha crença fundamental de que as pessoas são o bem mais importante. Se cuidarmos dos nossos colaboradores, as suas ações vão refletir os valores e comportamentos pelos quais desejamos que a nossa/sua empresa seja conhecida e, para nós, essa prioridade passa por proporcionar um crescimento e sucesso transformador ao cliente.

Ao sermos “centrados nas pessoas” mostramos a importância de compreender as necessidades das nossas pessoas, tanto em termos de trabalho, como de bem-estar. Adotamos esta mesma abordagem com os nossos clientes, o que é crucial por ser um negócio na Cloud – não estamos simplesmente a vender uma peça de software empresarial e depois a passar para o próximo cliente.

Temos de trabalhar com os nossos clientes para além da venda e da implementação, na utilização contínua do nosso software. Ao compreendermos as suas necessidades, as nossas equipas podem dar um apoio personalizado aos clientes e ajudá-los a tirar o máximo partido do software da Unit4 e, em última análise, a serem bem-sucedidos.

Para nós, isto é construir soluções de software com as pessoas em mente, uma vez que elas irão inerentemente capacitar os utilizadores a despender mais tempo em trabalho significativo e propositado, em vez de os distrair com camadas adicionais de tarefas de gestão administração.

Globalmente, quais são os mercados prioritários para a Unit4?
Muitas soluções ERP foram desenvolvidas tendo em conta o seu próprio fabrico e não as pessoas, pelo que isto em si mesmo é um fator diferenciador: os nossos produtos são para pessoas. As nossas soluções empresariais inovadoras alimentam muitas das médias empresas mais centradas nas pessoas do mundo, tais como Bravida, Havas, Migros Aare, Americares, Save the Children International, Metro Vancouver, Forest Research, Southampton City Council, FTI Consulting, e Surrey County Council.

A nossa plataforma na Cloud, de última geração, ERPx reúne capacidades financeiras, de gestão, produto, recursos humanos e FP&A num só produto centralizado que partilha informação em tempo real. Foi concebido com um foco nas pessoas para que os funcionários possam beneficiar de uma melhor perceção global da empresa e tornar-se mais eficazes e cada vez mais empenhados.

“(…) tenho estado concentrado em transformar a empresa numa plataforma SaaS ERP totalmente baseada na Cloud”.

Quais são as maiores inovações da Unit4 nos últimos anos?
A nossa proposta de produto tem sofrido uma evolução significativa nos últimos anos. Desde que entrei para a Unit4, tenho estado concentrado em transformar a empresa numa plataforma SaaS ERP totalmente baseada na Cloud. Conseguimos alcançar isso em 18 meses com o lançamento do ERPx e já assegurámos mais de 100 clientes no último ano para a nova plataforma. Isto colocou-nos significativamente à frente da concorrência, tanto no nosso mercado como em comparação com os maiores fornecedores de ERP.

Temos agora uma plataforma construída sobre uma arquitetura de micro serviços, o que significa que os nossos clientes têm muito mais agilidade para responder ao ritmo acelerado da mudança nos seus mercados. Esta arquitetura aberta permite uma integração mais fácil de aplicações com a nossa plataforma ERP principal e, através do nosso Kit de Extensão, os parceiros podem fornecer rapidamente funcionalidades adicionais aos nossos clientes. Mais recentemente, lançámos também o Industry Mesh, que fornece ERP específicos da indústria e integrações em pacotes para organizações de média dimensão.

Isto é importante para organizações de média dimensão, uma vez que não dispõem de recursos e tempo para investir em longas implementações de software empresarial. Com o Industry Mesh os nossos clientes são capazes de implementar o ERPx em prazos muito mais curtos e, o que é ainda mais importante, têm a funcionalidade para a sua indústria específica desenhada na plataforma desde o primeiro dia.

E que novidades esperam apresentar este ano, globalmente?
Este ano anunciámos a nossa recente aquisição da Scanmarket, que reforça a funcionalidade de aquisição transacional da Unit4 (P2P) e traz capacidades adicionais para a aquisição estratégica, incluindo sourcing, análise de gastos, gestão de fornecedores e gestão do ciclo de vida dos contratos. Estamos sempre a evoluir!

O futuro do ERP está na cloud?
Passámos dois anos a redefinir completamente a nossa arquitetura e aplicações para operar na Cloud. Construímos um modelo, baseado na arquitetura da Plataforma People, que nos permite construir funcionalidades e integrar funcionalidades de parceiros rapidamente. Muitos serviços, especialmente os de maior dimensão, estão a mudar as suas ofertas no local para a Cloud, em vez de trabalharem especificamente para a Cloud. Esta é uma abordagem diferente, uma vez que estão a construir opções de um só alojamento que são muito difíceis de escalar. A mudança para a Cloud não deveria ser apenas um exercício de redução de custos para as empresas – deveria ser uma questão de redefinir radicalmente a forma como o negócio irá funcionar no futuro. Na Unit4s estamos a facilitar esta mudança para as empresas de média dimensão.

Como avalia a transformação digital dos clientes, das empresas? São capazes de acompanhar o mercado?
Sem dúvida. O mercado que servimos é surpreendentemente ágil e beneficia também de ter menos tecnologia utilizada em larga escala. Do mesmo modo, as organizações de média dimensão não têm os recursos e tempo para investirem em longas implementações de software empresarial, pelo que estão muito abertas à Cloud, à transformação digital e à utilização de novas tecnologias para impulsionar a eficiência.

“A América do Norte e a Alemanha em particular, são mercados de crescimento onde vemos muito potencial”.

Internacionalmente, que geografias estão no vosso plano de expansão?
A nossa área de atuação encontra-se na Europa, que ainda constitui uma parte significativa do nosso negócio. Dito isto, somos uma empresa verdadeiramente global que opera em 25 países, com mais de 2.300 empregados que servem mais de 6.000 clientes, muitos dos quais já estão connosco há décadas.

Somos uma empresa em crescimento. A América do Norte e a Alemanha em particular, são mercados de crescimento onde vemos muito potencial.

Recentemente, adquiriram a Scanmarket. Vai continuar a fazer compras?
Temos o prazer de acolher a Scanmarket na Unit4 – que, tal como nós, tem uma cultura e tecnologia orientadas para as pessoas. Também adquirimos recentemente a Compright, em novembro de 2021, que é agora a Unit4 Compensation Planning.

Somos uma empresa focada no crescimento – a forma como planeamos atingir este objetivo é, evidentemente, adquirindo novos negócios, impulsionados pela nossa solução ERPx na Cloud. Vamos também continuar a trabalhar com os nossos atuais clientes nas suas migrações para a Cloud e nas suas adoções da carteira da Unit4.

As F&A (Instalações e Custos Administrativos) também fazem parte desta estratégia, que abrirá novos mercados e indústrias, e acelerará a nossa transição e transformação para uma empresa de software “cloud-first”.

“Os nossos planos como empresa são de nos tornarmos os líderes mundiais em aplicações empresariais”.

Depois de três anos como CEO da Unit4, atingiu todos os objetivos que definiu? Quais são os seus principais desafios?
Enquanto CEO, estou sempre a aprender, e aprendi muito nos últimos três anos – tem sido uma experiência fantástica e gratificante. Claro que a liderança durante a pandemia tem sido uma enorme parte da minha responsabilidade quotidiana nos últimos dois anos, ao longo dos quais estar “num negócio para as pessoas” assumiu um significado totalmente diferente. A forma como apoiamos as equipas, como nos envolvemos com os clientes e colaboramos com parceiros evoluiu e, como empresa, estamos cheios de energia para continuar a desenvolver a nossa solução inovadora ERPx, liderando a inovação no nosso setor, sempre com as pessoas em primeiro plano.
Os nossos planos como empresa são de nos tornarmos os líderes mundiais em aplicações empresariais. Queremos crescer com os nossos clientes, ajudando-os a terem cada vez mais sucesso, tornando os seus negócios mais eficientes e aumentando a produtividade das suas equipas de trabalho. Somos uma empresa em crescimento, com claras ambições de crescimento para o futuro.

Comentários