O centro de Investigação & Desenvolvimento da Shield será um hub de inovação da empresa e participará no desenvolvimento de soluções para projetos e clientes a nível mundial.

A Shield, tecnológica israelita, entrou no mercado português e criou um centro de investigação e desenvolvimento em Lisboa. A nova estrutura vai dar apoio à empresa em Israel, ao mesmo tempo que estará envolvida no desenvolvimento de projetos a nível mundial.

Nesta primeira fase, a empresa vai apostar em equipas de desenvolvimento, mas futuramente irá incluir na sua equipa profissionais das áreas de arquitetura de soluções e cloud. Atualmente, a Shield procura programadores e gestores de software especializados com experiência em Java, Angular, JavaScript, bem como outros profissionais de TI especializados e que possam desenvolver novas funcionalidades para a plataforma de IA da empresa.

A plataforma da Shield, recorde-se, permite às instituições financeiras garantirem todos os requisitos de conformidade – mitigar riscos, detetar abusos de mercado, obter análises comportamentais, monitorizar cultura tóxica no local de trabalho e automatizar a vigilância dos canais de comunicação, poupando custos operacionais e de conformidade.

Através de dados, analítica, ferramentas de pesquisa melhoradas e vigilância proativa, a plataforma usa Inteligência Artificial e Processamento de Linguagem Natural ao longo de todo o ciclo de vida das comunicações.

Nuno Hortênsio, Country Manager da Shield, explicou que a escolha de Portugal prendeu-se com a qualidade do talento tecnológico que existente. “É um país com muito potencial, não só devido às boas universidades e aos bons profissionais, mas também devido ao seu próspero ecossistema tecnológico e empresarial, que já produziu unicórnios e start-ups no valor de milhares de milhões de dólares, e ao investimento internacional que está a atrair”.

A Shield também irá estabelecer protocolos com as universidades portuguesas para oferecer oportunidades profissionais e de formação aos jovens, explicou a empresa em comunicado.

Recorde-se que em janeiro deste ano, a Shield fechou em janeiro uma ronda de financiamento da Série A de 15 milhões de dólares. O valor será aplicado na sua estratégia de expansão e no desenvolvimento da sua plataforma.

“Shield é uma empresa em rápido crescimento. Portugal é uma das nossas iniciativas estratégicas para os próximos anos. Estamos ansiosos por contratar o melhor talento que a Europa tem para oferecer, e acreditamos que muito desse talento reside atualmente em Portugal”, concluiu Ofir Shabtai, cofundador e CTO da Shield.

Comentários