Os grandes bancos e as empresas de capital de risco britânicas assinaram recentemente um compromisso, denominado Investing in Women Code, que visa apoiar as empreendedoras no Reino Unido.

Diversos bancos e fundos de capital de risco assinaram o Investing in Women Code, um compromisso para apoiar o empreendedorismo feminino no Reino Unido, melhorando o acesso das mulheres aos conselhos, recursos e financiamento necessários para construir um negócio.

Entre as entidades financeiras que assinaram este compromisso estão o Royal Bank of Scotland, o Barclays, Lloyds Banking Group, o Santander, o TSB, o Metro Bank, o  Co-operative Bank e o Bank of Ireland UK, juntamente com as empresas de capital de risco Frontline e Episode 1, e as redes de investimento de business angels como a UK Business Angel Association, a Angel Academe e o British Business Bank.

Este compromisso acontece depois de uma análise solicitada pelo Tesouro e liderada por Alison Rose, vice-presidente-executiva do NatWest, que identificou as barreiras enfrentadas por mulheres empresárias e o que poderia ser feito para as superar. O relatório Rose concluiu que apenas um em cada três empresários são mulheres e que os negócios geridos por mulheres são, em média, metade do tamanho das empresas lideradas por homens.

Na apresentação do Investing in Women Code, o secretário de estado das Finanças britânico, Robert Jenrick, referiu a necessidade de derrubar as barreiras de género, que poderá ter como consequência o aumento das receitas para a economia do Reino Unido e celebrou o facto dos principais bancos e empresas de capital de risco apoiarem a iniciativa.

Por seu turno, Alison Rose, vice-presidente da NatWest Holdings e CEO do Commercial & Private Banking,  disse: “após tomarem conhecimento das conclusões do relatório Rose, todos os envolvidos concordaram, além de tomarem consciência dessa realidade, que é preciso agir. A reação da indústria e o compromisso que tantas instituições líderes já demonstraram em relação ao acordo tem sido fantástica e encorajadora, e isso é apenas o começo”.

Os signatários deste acordo concordam que promover o empreendedorismo feminino é vital para o futuro do crescimento económico do país. O código representa uma determinação do setor financeiro britânico para enfrentar as barreiras que ainda são enfrentadas diariamente pelas mulheres empreendedoras. Os apoiantes consideram que é importante para a economia do Reino Unido e que uma grande ideia de negócio, seja de quem for o criador – mulher ou homem -,  tenha a hipótese de ter sucesso.

Comentários