Para melhorar o bem-estar e a felicidade dos seus colaboradores não precisa de investir fortunas. Comece com algumas estratégias de baixo custo e faça a diferença na sua empresa. A bem da saúde mental das suas equipas.

Cada vez mais na ordem do dia, a saúde mental dos colaboradores, e o impacto que esta pode ter nos resultados das empresas, começa a merecer a atenção dos líderes empresariais. A realidade tem revelado que o cuidado com o bem-estar dos funcionários afeta positivamente o retorno dos eventuais investimentos feitos pela empresa nesta matéria.

Nem sempre são necessários investimentos milionários para pôr em marcha um plano que salvaguarde os seus colaboradores, e no limite a empresa, deste problema. Existem algumas estratégias de baixo custo com resultados confirmados na felicidade dos funcionários e nas receitas da empresa.

Acrescente mais tempo de folga ao seu pacote de benefícios
Enquanto uma doença física está contemplada nos “dias de doença”, o cansaço mental, o stress ou qualquer outra perturbação do foro psicológico, raramente estão contemplados nesse cenário. Mas a serem criados, os “dias de saúde mental” têm a particularidade de dar ao colaborador tempo para se afastar das pressões e frustrações associadas ao local de trabalho. Com esta pausa ganha o trabalhador, que assim pode prevenir um eventual esgotamento, e a empresa que corre menos riscos de ver a sua produtividade diminuir.

Para quem está a trabalhar remotamente, constata-se que houve uma diminuição das barreiras entre vida pessoal e profissional, mais horas de trabalho e menos férias. As equipas também podem estar a trabalhar mais para esconder alguma ansiedade, já que não querem ser vistas como incapazes de lidar com a pressão.

Torne os programas de assistência mais acessíveis
Existem programas de apoio projetados para os colaboradores com problemas pessoais (desde questões financeiras, a conjugais ou emocionais, entre outras) que possam afetar negativamente a sua capacidade de trabalho. Este tipo de programas pode ser uma opção para os trabalhadores, devido ao potencial que têm de reduzir os custos diretos associados ao tratamento da saúde mental. Em média, um programa desde género pode representar, por funcionário, menos do que 1% do custo médio de um seguro de saúde.
Se liderar uma empresa suficientemente grande para poder juntar este tipo de oferta ao seu pacote de benefícios, equacione adotar esta medida.

Dar o exemplo
A par destas “ferramentas” pro saúde mental, convém saber incentivar os colaboradores a tirarem proveito delas e para isso nada melhor que começar por dar o exemplo. Ao reconhecer pessoalmente a importância da saúde mental, transmite aos colaboradores uma mensagem importante: que não há problema em fazerem o mesmo.

Ao trazer o tema do cuidar e do bem-estar para a cultura da empresa, daqueles que estão por detrás do seu negócio, há um incentivo reforçado para cuidarem mais deles próprios. Terão um dia a dia mais feliz e saudável o que impacta positivamente o resultado final, ou seja, a vida da própria empresa.

Comentários