“Temos chefs, uma plataforma e clientes, um grande resultado para 6 meses de trabalho. O novo grande desafio é crescer”, disse Margarida Correira, cofundadora da Supper Stars, em entrevista ao Link To Leaders.

Quer surpreender os amigos, a família ou simplesmente a sua cara-metade com um jantar digno dos melhores restaurantes, mas não tem jeito para a cozinha e também não quer sair de casa? A solução é mandar vir o chef a casa. Este é um serviço que começa a ganhar expressão em Portugal e há já quem se dedique a este nicho de mercado com sucesso. É o caso da Margarida Correia que se juntou ao Tiago Ribeiro e criaram a Supper Stars no final de 2016.

A empresa, que se quer assumir como uma marca hoteleira virtual, propõe que, a partir de 35 euros por pessoa, seja possível ter um chef exclusivo a preparar-lhe uma fantástica refeição. E que, no final, lhe devolve a cozinha tal como a entregou.

Pedidos? Até agora já tiveram vários, mas o mais extravagante foi um jantar para 20 pessoas preparado por um chef com estrela Michelin. Em entrevista ao Link To Leaders, Margarida Correia avança que, depois de terem lançado em janeiro deste ano o website para venda online, querem crescer, consolidar o negócio em Portugal e “ter a oportunidade de responder a muito mais extravagâncias”.

Como e quando surgiu a Supper Stars?
A Supper Stars é um projeto meu e do Tiago Ribeiro, os sócios fundadores. Estávamos ambos à procura de um novo desafio, de criar e lançar um negócio próprio e, conhecendo-nos por termos trabalhado juntos na The Boston Consulting Group, percebemos que tínhamos um interesse em comum – o convívio à mesa com uma bela refeição. Tínhamos também uma visão em comum – criar uma marca hoteleira virtual, aliando as tecnologias da informação às novas tendências de lifestyle para inovar na área da restauração. Assim, e após algum trabalho de casa, em novembro de 2016 nasce a versão beta da Supper Stars.

Em que é que consiste?
A Supper Stars quer juntar o melhor da nossa casa com o melhor do restaurante e levar um grande Chef à casa de todos nós. Com a simplicidade de quem marca um hotel, a Supper Stars oferece um Chef exclusivo para receber os amigos e a família em casa de forma glamorosa.  Através do website www.thesupperstars.com os clientes selecionam e reservam um chef e um menu, e a partir daí fica tudo a cargo do Chef.  No dia do evento, o chef chega à casa do anfitrião cerca de duas horas antes do início do mesmo com os ingredientes e utensílios necessários, prepara e serve uma refeição deliciosa, e deixa a cozinha tal qual a encontrou. No entretanto, os clientes podem aproveitar ao máximo a companhia dos seus convidados.

O que os levou a apostar na área da alimentação, vindos do mundo da gestão e consultoria?
O amor pela comida! E a convicção de que existe ainda muito espaço para inovar nesta área, tipicamente tão ortodoxa. Como referi, viemos a construir uma visão baseada nesta paixão – criar uma marca hoteleira virtual, juntando a tecnologia às novas tendências de lifestyle para inovar na área da restauração. Esta visão foi em grande parte alavancada na experiência do Tiago no setor hoteleiro.

É possível requisitar o serviço em todo o país ou apenas nas grandes cidades?
A Supper Stars está disponível em todo o país, ainda que o enfoque do projeto e em particular da sua vertente digital sejam os grandes centros urbanos de Lisboa e Porto. É nestes centros urbanos que a Supper Stars pretende crescer e consolidar o seu negócio, considerando também uma forte presença (mais sazonal) no Algarve.

Qualquer cozinha consegue estar à altura de um chef ou há um kit de sobrevivência que cada um leva consigo para a casa do cliente?
A cozinha de qualquer um de nós está pronta para receber um chef Supper Stars. De facto, a Supper Stars tem surpreendido muitos clientes que não achavam possível que das suas cozinhas “normais” pudessem sair os menus inesperados que os nossos chefs oferecem. De qualquer forma, uma vez que o chef fala com o cliente antes do evento, consegue perceber se é necessário levar algum equipamento adicional. Este é muitas vezes o caso dos clientes corporate. Temos feitos diversos eventos corporate, em sítios com reduzidas instalações, de onde saem as melhores refeições. Nestes casos, nós levamos todo o equipamento necessário.

Quantos chefs integram atualmente a plataforma?
Temos atualmente cerca de 20 chefs com quem trabalhamos, da mais variada formação e background, mas continuamos a crescer. Mas o nosso objetivo é ter muitos mais chefs para que possamos oferecer uma variedade de estilos e cozinhas que seja uma verdadeira alternativa ao restaurante.

Qual o modelo de negócio?
Com a simplicidade de quem marca um restaurante ou um hotel, é possível ter um chef exclusivo para receber os amigos e a família em casa de forma glamorosa. Através do website www.thesupperstars.com, os clientes podem selecionar e reservar uma experiência gastronómica e um chef que irá deliciar o anfitrião e os seus convidados com os seus pratos, o seu serviço e a sua história.  Após a reserva, o Chef entra em contacto com o cliente para acertar os últimos detalhes da experiência e para obter qualquer informação adicional relevante, como uma alergia alimentar ou preferências do anfitrião e convidados.

No dia do evento, o chef chega à casa do anfitrião cerca de duas horas antes do início do serviço, com os ingredientes e utensílios necessários, prepara e serve uma refeição deliciosa, deixa a cozinha tal qual a encontrou e os clientes podem aproveitar ao máximo a companhia dos seus convidados. Embora as experiências Supper Stars não incluam bebidas, é possível obter uma seleção de vinho harmonizada com os menus pela Garrafeira Nacional, parceira da Supper Stars. É também possível obter outros serviços adicionais, como, por exemplo, comida para crianças, palamenta, serviço de sala, ou outros, que a Supper Stars ou um dos seus parceiros responderá ao pretendido.   No final do evento, os clientes são convidados quer a partilharem a sua avaliação e comentários sobre o chef no website, quer a partilhar a sua experiência nas suas redes sociais, ajudando assim a promover os Chefs de que mais gostam. As experiências Supper Stars estão disponíveis em três segmentos de preço, a partir de 35€/pessoa para um mínimo de 6 pessoas. Esta receita é partilhada pelo chef e pela Supper Stars, que cobra uma comissão sobre o valor total.

Contaram com capital de terceiros na fase de lançamento?
Não. Até à data, temos estado bootstrapping. Queríamos testar o conceito e o modelo de negócio antes de envolvermos terceiros. Nesta fase, em que acreditamos que o conceito já está testado, começamos a pensar em crescer rapidamente, consolidando a operação em Portugal e iniciando o crescimento para outros mercados.

Maior desafio superado até ao momento?
Termos conseguido produzir um produto que funciona e de que as pessoas gostam foi o nosso grande desafio. Temos chefs, uma plataforma e clientes, um grande resultado para 6 meses de trabalho. O novo grande desafio é crescer.

Como pensam inovar na oferta do vosso serviço?
A Supper Stars é um projeto pioneiro. Os serviços de chef em casa já existiam. O que não existia, e existe agora com a Supper Stars, é uma marca que agrega este tipo de serviços, que facilita e alarga o acesso a este tipo de serviços, que estabelece uma expetativa de consistência e qualidade num contexto de oferta de diversidade, e que aposta no crescimento e na formação dos chefs. Mesmo a nível internacional as plataformas semelhantes são isso mesmo, plataformas. A Supper Stars vai além de uma mera plataforma digital, afirmando-se como uma marca hoteleira virtual, isto é, sem espaço próprio e atuando nos espaços dos clientes.

As marcas hoteleiras tradicionais de referência são, desta forma, uma inspiração importante para este projeto. São também inspiração o talento dos muitos cozinheiros com muita experiência e que pretendem crescer e ter o seu negócio próprio, assim como as tendências em crescimento do entretenimento em casa, da procura de experiências, e de tudo o que é relacionado com gastronomia.

É por isso que a Supper Stars acredita que, por via dos serviços dos seus chefs, é possível as pessoas partilharem uma experiência gastronómica fabulosa em casa, com familiares e amigos. Mais ainda: que é possível as pessoas considerarem que o melhor restaurante é a sua própria casa!

Quais os pedidos mais habituais dos portugueses e qual o mais extravagante até ao momento?
Os portugueses (e os nossos clientes, na generalidade) gostam de pratos à base de peixe e marisco. E os nossos chefs gostam de cozinhar estes ingredientes. O pedido mais extravagante foi um jantar para 20 pessoas preparado por um Chef estrela Michelin. Esperamos ter a oportunidade de responder a muito mais extravagâncias!

Quando custa requisitar um serviço ao Supper Stars?
Temos três níveis de preço, de acordo com a complexidade do menu: 35€, 50€ e +70€ por pessoa. Por isso, a partir de 35€ por pessoa é possível ter um chef exclusivo a preparar-lhe uma fantástica refeição.

Como vê a Supper Stars daqui a um ano?
Tratando-se de um projeto lançado na reta final de 2016 e cujo website para venda online foi lançado já em janeiro de 2017, a expetativa da Supper Stars para este ano é crescer e consolidar o negócio em Portugal, nomeadamente nas áreas de Lisboa, Porto e Algarve, com vista a uma rápida expansão internacional. A Supper Stars pretende também alargar o espetro da oferta disponível, por via do seu website.

É fácil ser-se empreendedor nos dias de hoje em Portugal?
Portugal está atualmente muito recetivo ao empreendedorismo e tem ativamente estimulado o nosso ecossistema empreendedor. O espírito aberto que hoje existe incentiva e estimula os nossos esforços. Claro que há desafios e dificuldades, como em todos os sítios, mas no geral temo-nos sentido muito apoiados.

Foram uma das 67 start-ups que representaram Portugal na Web Summit. Que balanço fazem da participação?
O Web Sumit foi muito positivo. Foi possível fazer contactos úteis a todos os níveis, desde potenciais clientes, a investidores, até (inesperadamente) chefs. Uma experiência a repetir.

Um conselho a quem está a lançar uma start-up…
Pensem sempre no minimum viable product. É preferível começar cedo e em pequena escala com um produto que não é perfeito. O produto nunca será perfeito de qualquer maneira e, desta forma, podem logo começar a aprender e a melhorar e a garantir que o produto responde, de facto, às necessidades do cliente.

Respostas rápidas:
O maior risco: Estar a começar uma terceira vida profissional.
O maior erro: Muitos, mas todos fizeram parte do processo de aprendizagem.
A melhor ideia: A Supper Stars.
A maior lição:  Nada se faz sem trabalho, trabalho, trabalho.
A maior conquista: Uma família feliz.

 

Comentários