A terceira edição do Índice de Excelência aponta os fatores mais importantes para a retenção de talento e envolvimento dos colaboradores nas operações das empresas.

Numa altura em que as empresas têm cada vez mais dificuldade na retenção de talento, surgem novos estudos que indicam quais são os fatores mais importantes para manter os trabalhadores interessados no trabalho que desempenham.

Foi sobre os principais fatores de retenção e envolvimento dos colaboradores nas empresas que a terceira edição do Índice de Excelência se debruçou. O estudo foi realizado pela Neves de Almeida | HR Consultora em colaboração com a INGED-ISCTE, a Human Resources Portugal e a Executive Digest. A amostra para este estudo envolveu 200 empresas de todos os setores de atividade.

O principal fator de retenção, com 55% das respostas, é o gosto pelo trabalho desenvolvido. Segue-se o equilíbrio entre a vida profissional e familiar (32,86%), a relação com os colegas (28,6%), as condições de trabalho (26,1%) e a segurança no emprego (24,1%).

No que diz respeito ao envolvimento dos colaboradores, o orgulho no trabalho desenvolvido apresenta-se como o fator mais importante, com 81,3% dos inquiridos a reverem-se neste fator. Neste campo, a imersão no trabalho, a força e energia e o deixar-se levar pelo trabalho são outros dos aspetos importantes valorizados pelos trabalhadores.

A terceira edição do Índice de Excelência indica também que as recompensas dos trabalhadores – como remunerações, benefícios e bónus –, a aposta no desenvolvimento das pessoas e a gestão do talento são as iniciativas organizacionais apontadas como prioritárias pelos colaboradores.

Conclusões mais aprofundadas do estudo serão divulgadas na próxima quarta-feira, dia 20 de fevereiro, numa cerimónia onde também serão premiadas as empresas que mais investem na área dos recursos humanos e no desenvolvimento e satisfação dos seus colaboradores.

Comentários

Sobre o autor

Avatar