Quer investir numa start-up? Saiba por onde começar

Antes de entrar no mundo das start-ups, siga os conselhos de Cristian Welsh Miguens, professor do Curso de Negócios da Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo, no Brasil.

Quer investir numa start-up? Vê neste investimento uma oportunidade de ganhar mais dinheiro do que ao aplicá-lo num banco ou em ações? Acabou de receber uma herança e não sabe o que fazer com o dinheiro? Enfim, as possibilidades são infinitas. Para o ajudar a refletir e a encontrar o seu caminho, Cristian Welsh Miguens, especialista brasileiro em empreendedorismo, partilha algumas dicas que deve seguir à risca.

A primeira sugestão que este professor faz é que os interessados definam o que é uma start-up, recomendando a leitura do artigo “Uma loja de doces pode ser considerada uma start-up?”. É fundamental para o sucesso saber exatamente o que é que está à procura.

A seguir, mesmo antes de pensar no produto em que deseja investir, reflita sobre as suas crenças e valores. Lembre-se que, ao investir numa start-up, tornar-se-à sócio do projeto.

Antes de passar para a questão das condições de como o processo se desenvolverá, o especialista aconselha que é fundamental que exista algum tipo de alinhamento entre o empreendedor e o investidor. E aponta 4 dicas que considera essenciais, apesar de ressalvar que há mais pontos a ter em conta:

  1. Invista em autoconhecimento – reflita sobre as suas competências, motivos e ideais, assim como nas suas limitações;
  2. Reflita sobre o tipo de relacionamento que procurará ter com o empreendedor. As questões que deverá abordar não são apenas técnicas e financeiras. O sucesso dependerá da capacidade do investidor e do empreendedor se relacionarem, e da construção do relacionamento entre os dois;
  3. Antecipe-se e gira o tempo que investirá para conhecer o empreendedor – conhecer a pessoa, as suas crenças e valores;
  4. Prepare-se para negociar, ou seja, o que é que está disposto a ceder ao longo da negociação para obter o que quer?

A partir daqui está apto a avaliar os projetos que lhe foram apresentados pelos empreendedores e a reflitir se está preparado. Nesta matéria, o especialista refere que há três questões a considerar:

  1. Possui os conhecimentos e competências necessários para avaliar os projetos? Sabe exatamente que tipo de dados e informações deverá exigir do empreendedor para fazer a sua avaliação? Já definiu os parâmetros que usará para tomar a decisão de investir ou não num determinado projeto?;
  2. Possui as ferramentas e a tecnologia necessáras para fazer a avaliação simultânea de diversos projetos?;
  3. Possui tempo suficiente para o fazer? Ou tem uma equipa suficientemente capacitada para o auxiliar?

“Há diversos tipos de investidores (sócio, empréstimo, crowdfunding, aceleradoras, incubadoras, business angels, private equity). Deve analisar qual das opções é a mais viável para o seu negócio (sim, estará a iniciar um novo negócio, ou seja, a sua própria start-up, cujo produto será fornecer financiamento a empreendedores)”, ressalva, sugerindo a leitura dos seguintes artigos:

Como conseguir investimento e mentores para minha start-up
É melhor ser investidor ou sócio de uma empresa; compare
Vale a pena procurar a ajuda de um investidor ou não?

“Repito o que já escrevi ao me dirigir aos empreendedores: lembre-se que não é apenas o investidor quem está a avaliar o negócio (o investimento a ser feito). O empreendedor também estará a fazer uma escolha entre os diversos investidores, procurando aquele com o qual mais se identifica. Avalie corretamente e proteja-se: lamentavelmente há também muita falta de ética e profissionalismo neste mercado (tanto entre eventuais investidores como entre eventuais empreendedores)”, explica Cristian Welsh Miguens.

Se tem dúvidas sobre como iniciar-se neste mercado, o especialista recomenda ainda que “procure na Internet as incubadoras, as aceleradoras, os clubes de business angels e que monitorize as empresas de crowdfunding. Todos têm o mesmo propósito que o seu: auxiliar a financiar start-ups. Procure-os e tente estabelecer parcerias. Aos poucos poderá achar o seu caminho das pedras”.

Boa sorte!

 

Comentários

Artigos Relacionados