Otimização de custos nas empresas é chave no pós-Covid-19

A Expense Reduction Analysts sugere algumas etapas que podem ser decisivas no processo de recuperação das empresas na fase pós-pandemia.

“Ainda que não exista uma cartilha que guie os gestores passo a passo, há um conjunto de diretrizes a considerar e que são essenciais para dar resposta à crise e preparar a recuperação, relacionadas com o controlo dos gastos e a monitorização dos resultados”, afirma João Costa, country manager da Expense Reduction Analysts, consultora global especializada na otimização de custos e gestão de compras.

A consultora evidencia o facto do equilíbrio entre custos e liquidez determinar a continuidade dos negócios, independentemente do setor ou da indústria. Por isso, e a pensar no apoio às empresas, compilou um conjunto de sete passos que podem ser decisivos no processo de recuperação destas.

Gestão de custos: Prestar atenção aos detalhes é crucial. Há que começar por estudar os custos variáveis, sondar o mercado e, em função disso, proceder às adaptações que se mostrem vantajosas.

Assegurar a resiliência da cadeia de abastecimento: É importante compreender os riscos dos atuais fornecedores e identificar alternativas em caso de necessidade, de modo a minimizar potenciais ruturas e garantir o cumprimento de prazos e a satisfação dos consumidores.

Equilíbrio entre preço, qualidade e serviço: Mais do que o preço, na escolha do fornecedor deve incluir-se na equação fatores que pesam na performance global e que dizem respeito à qualidade e ao serviço.

Atenção ao mercado: Os fornecedores são parceiros estratégicos e é sempre preferível fazer uma gestão eficiente dos contratos existentes. No entanto, convém manter opções em aberto e perceber analiticamente quais as situações que justificam uma troca.

Negociar os contratos: Os problemas tendem a esconder-se nas letras pequeninas. Ler e reler cada contrato nunca é demais. Na altura de fechar condições com fornecedores, devem ter-se presentes as cláusulas, os custos de manutenção e os serviços contínuos.

Promover inovação: A capacidade de inovar é um elemento crítico para o sucesso das empresas. É imprescindível investir na competitividade pela inovação para não ficar ficar atrás da concorrência, em matéria de cadeia de abastecimento, por exemplo.

Planear uma estratégia holística: É preciso definir uma visão e montar uma estratégia que permita proteger a saúde da tesouraria. Cada empresa terá a sua própria estratégia, adaptada à sua dimensão, volume de faturação, impacto e dificuldades detetadas.

Comentários

Artigos Relacionados