O jovem empreendedor Alexandre Marques falou com o Link To Leaders sobre a reinvenção de um negócio que já tem mais de dois séculos de história.

Alexandre Marques é um jovem empreendedor de Vila Nova de Famalicão que ficou recentemente conhecido por abrir a Engraxat, uma loja física de engraxamento de calçado. A ideia, à primeira vista simples, levou-o aos programas da manhã da televisão nacional e a algumas das publicações diárias mais conhecidas do país.

A vontade de criar um negócio surgiu depois de vários anos a trabalhar na área, mas como lojista. Foram “quatro anos em duas empresas de desporto” e, durante este período, “a maior dúvida das pessoas quando compravam calçado era como fazer a limpeza”, conta o empresário de 25 anos ao Link To Leaders.

“Fui absorvendo esse feedback dos clientes, até que realizei um estudo sobre o mercado em Portugal e reparei que, de facto, não existia nenhum serviço [a que as pessoas pudessem recorrer].” O nascimento da Engraxat vem no seguimento de uma das regras de ouro do empreendedorismo: trabalhar um mercado que não está satisfeito ou que não tem solução para um problema.

A reinvenção de um clássico

Mas este não foi o único motivo que levou Alexandre a criar a Engraxat. A par da lacuna de mercado, o gosto pela profissão vem do avô, que era engraxador – uma profissão com mais de dois séculos de história. “Optei por reinventar um clássico”, explica o empreendedor. Também por este motivo, acredita que esta é uma profissão que “ficou esquecida em Portugal”, mas que “é uma arte” como tantas outras que têm vindo a ser reinventadas.

A nova loja física, que abriu no dia seis de abril, não foi o primeiro passo dado por Alexandre na área. Esse tinha sido dado dois anos antes, quando o fundador da Engraxat decidiu criar vários pontos de entrega onde as pessoas deixavam o calçado que necessitava do tratamento de um engraxador profissional. A transformação física do negócio vem da “necessidade de os clientes saberem quem eu era e para também dar a minha opinião relativamente ao calçado”, conta o empreendedor ao Link To Leaders.

O apoio da rede nacional de incubadoras

A construção da Engraxat física foi apoiada pela Famalicão Made IN, a incubadora do concelho nortenho. Questionado sobre este tema, Alexandre explica que se dirigiu “ao Famalicão Made IN, expliquei a minha ideia e eles ajudaram-me a elaborar um plano de negócios”.

É notável a importância da rede nacional de incubadoras no apoio à transformação de ideias em negócios e na construção de novas empresas porque, tal como explica o jovem, “no fundo, não sabia em que mundo estava a entrar e precisava de algumas luzes”.

Apesar de ter tido apoio na elaboração de um plano de negócios, Alexandre salienta que não quis receber qualquer financiamento para o negócio. “Prefiro ir mais devagar e ir fazendo a marca crescer consoante as possibilidades” – o que no universo de empreendedor se conhece comummente como bootstrapping.

A modernização de um negócio tradicional

Para marcar a diferença, Alexandre aposta num serviço diversificado. Além do engraxamento clássico por encomenda, que só inclui a parte exterior do calçado, o fundador disponibiliza um serviço de urgência e também uma limpeza profunda, que inclui um serviço de fragrância e desodorização.

Mas de forma a trazer o negócio para o século XXI era fundamental descobrir uma maneira de chegar a um público-alvo mais alargado. A solução foi ter uma “uma transportadora a trabalhar connosco para que pessoas de qualquer parte do país pudessem usufruir do nosso serviço. Basta fazer o registo online que o pedido entra automaticamente na conta da empresa e eu reencaminho para a transportadora, que, por sua vez, combina com o cliente a recolha e a entrega”, remata o empreendedor. O jovem Alexandre Marques não podia estar mais satisfeito com a sua aposta porque, como revelou, desde a inauguração da loja, há menos de duas semanas, já recebeu mais de 70 pares de sapatilhas.

Comentários