Miguel Santo Amaro, Rui Carvalho, Tiago Fernandes, Luís Rocha e Nuno Pinto, fundadores da Coverflex, venceram o Prémio João Vasconcelos-Empreendedor do Ano 2022.

Este ano o Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do Ano foi entregue à equipa de fundadores da Coverflex: Miguel Santo Amaro, Rui Carvalho, Tiago Fernandes, Luís Rocha e Nuno Pinto. Fundada em 2019, a Coverflex é uma solução de compensação flexível que permite às empresas reduzir custos e maximizar os ganhos potenciais dos trabalhadores.

O prémio (que tem um valor monetário de  10 mil euros) foi entregue ontem a Miguel Santo Amaro durante os Entrepreneurship Awards, um evento da iniciativa da Startup Lisboa, em parceria com o Google for Startups, com o objetivo de celebrar o empreendedorismo e promover e dar voz aos empreendedores e ao trabalho que desenvolveram ao longo do ano.

“O Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do Ano é simbólico porque representa todo o trabalho que a Coverflex faz e que obviamente partilho com toda a equipa e com os cofundadores. Somos os cinco quem construiu tudo desde o início. Tenho também um sentimento especial pelo João Vasconcelos, meu amigo e mentor que me trouxe do Porto para Lisboa, no início da Uniplaces. Por isso, este prémio tem também um carácter emocional”, afirmou Miguel Santo Amaro.

Entre os finalistas ao Prémio Empreendedor do Ano estavam Afonso Pinheiro, CEO e cofundador da Pleez, Fred Antunes, CEO da RealFevr; Miguel Alves Ribeiro, fundador e CEO da sheerMe; Nuno Fernandes, cofundador da Zomato; e Sanja Kon, CEO da Utrust.

Realizado no Hub Criativo do Beato, no edifício da antiga Fábrica do Pão, em Lisboa, o evento Entrepreneurship Awards teve três momentos a destacar: a cerimónia de entrega do Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do Ano 2022; o Demo Day da Startup Lisboa, onde algumas das start-ups da incubadora apresentaram as soluções que estão a desenvolver; e sessões trazidas pelo Google for Startups sobre tópicos relevantes para o empreendedorismo nacional.

No decurso do evento foram também entregues os Prémios do Melhor Pitch – escolhido entre os finalistas dos candidatos a Empreendedor do Ano-, e o da Startup Mais Promissora da Startup Lisboa.

O Melhor Pitch foi atribuído a Fred Antunes, CEO da RealFevr. Com um valor monetário de 2.500 euros, destinado a ser doado a uma organização ou ação social à escolha do vencedor, este prémio visa distinguir a melhor apresentação em palco e foi atribuído por uma pool de jornalistas presente no evento.

Já a distinção de Startup Mais Promissora da Startup Lisboa foi para a start-up vencedora do Demo Day, a AssetFloow. O júri constituído por investidores nacionais e internacionais escolheu a vencedora entre as 15 start-ups que fizeram pitch, havendo um prémio monetário de 5 mil euros.

Gil Azevedo, diretor executivo da Startup Lisboa, lembrou que “o Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do Ano surgiu da vontade de celebrar o crescimento do ecossistema a nível nacional e reconhecer o trabalho excecional desenvolvido pelas start-ups, fazendo também honra a uma figura incontornável no desenvolvimento do ecossistema empreendedor e fundador da Startup Lisboa. Este prémio integra os Entrepreneurship Awards que tem como ambição de se expandir a categorias adicionais que reconheçam os fundadores e equipas, que se distingam em diversas áreas e que possa agregar o ecossistema nacional num grande evento”.

Nas três últimas edições os vencedores do Prémio Empreendedor do ano foram Daniela Braga, fundadora e CEO da Defined.ai (2019), André Jordão, fundador da Barkyn (2020), e Joana Rafael, Nuno Moutinho, Paulo Carreira e Vasco Portugal, da Sensei (2021).

Recorde-se que o Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do Ano foi criado em 2019 pela Startup Lisboa como forma de homenagear João Vasconcelos, o primeiro diretor executivo da incubadora, e para “promover um espírito empreendedor e de iniciativa, fomentar e promover a inovação e valorizar os empreendedores de acordo com o potencial do seu negócio e perfil de liderança”.

Os critérios de avaliação das nomeações e das candidaturas foram visão e estratégia, resiliência, contributo para o ecossistema empreendedor nacional, liderança e gestão de equipa, crescimento e penetração internacional foram os critérios de avaliação das nomeações e das candidaturas.

Comentários