O CircularChain é um ecossistema de blockchain aberto que dá suporte à atividade de separação de resíduos, melhora a eficiência dos processos e acelera o lançamento de campanhas.

A Ecoembes e a Minsait, empresa do grupo Indra, estão a desenvolver um ecossistema colaborativo para construir a plataforma de blockchain para a economia circular em Espanha. O projeto designa-se CircularChaine tem como finalidade ajudar na transição de uma economia linear para uma economia circular, promovendo a transparência dos processos, a sensibilização e a redução de custos.

Ou seja, o CircularChain facilitará o registo de informação imutável ​​sobre rastreabilidade (identificador de remoção, instalação, tipo de material, ou possível não conformidade, entre outros) e provas documentais para garantir a existência de um documento em determinado momento e permitir testar se ocorrem modificações mais tarde. Além disso, possibilita o estabelecimento de acordos inteligentes (por exemplo, na entrega de materiais ou embalagens), que facilitam a automatização dos pagamentos e as penalidades em caso de não conformidade.

De acordo com as empresas envolvidas, o projeto foi um desafio em termos de inovação tecnológica e terá um impacto significativo na sustentabilidade ambiental. A plataforma facilita a gestão e a monitorização em tempo real do processo de remoção de embalagens pelos agentes envolvidos.

A par disso, a rede de registos vai permitir ajudar as autoridades públicas, as entidades locais, os operadores, as empresas de reciclagem e outras organizações, a partilharem e controlarem com segurança todos os dados do sistema e a acelerar todas as transações ligadas ao processo de separação de resíduos.

Permitirá igualmente, a implementação de sistemas de auditoria inteligentes baseados nos registos criados por todos os envolvidos, para demonstrar que tanto as empresas como os Governos estão a cumprir os seus compromissos ambientais em termos de gestão de resíduos, gerando assim sistemas de monitorização ambiental.

Os responsáveis da Minsait explicam que ao “capitalizar o papel de facilitador que a Ecoembes desempenha dentro da economia circular, começámos a criar um ambiente colaborativo baseado no pilar da transparência, com tecnologia inovadora, com o objetivo de envolver gradualmente os restantes agentes no processo de separação, recolha e reciclagem para consolidar um ecossistema de referência no setor”.

A Ecoembes e a Minsait sublinham o valor que o CircularChain traz às autoridades públicas ao “facilitar a consulta da sua informação, de forma auditada e inalterável, sobre os processos da economia circular, assim como a sua integração numa rede que promove a colaboração público-privada e interadministrativa para avançar em direção à sustentabilidade”. Além disso, as empresas afirmam que ajudará a responder a uma sociedade com uma exigência crescente por “soluções inovadoras e mais transparentes”.

Comentários