A start-up inglesa Cutter’s Club recorreu a uma campanha de financiamento para alargar a sua rede de serviços. Está na Seedrs.

A procura de produtos e serviços ao domicílio está ao rubro e agora chegou ao universo das barbearias. A start-up inglesa Cutter’s Club oferece esse tipo de serviço através de uma plataforma online de fácil utilização, onde o  utilizador pode reservar o seu barbeiro preferido e escolher a hora e o local, em casa ou no escritório, onde quer que o corte de cabelo seja efetuado.

A plataforma apresenta a lista de barbeiros disponível, a área geográfica preferencial, o tipo de serviço que disponibiliza, bem como a classificação dos utilizadores para que os novos clientes possam escolher o profissional mais de acordo com o seu estilo.

Instalada em Londres, esta start-up  foi fundada pelo jovem Wiiliam Despard com o objetivo de revitalizar o mercado das tradicionais barbearias, adoptando um modelo de negócio mais de acordo com a sociedade e consumidores atuais. Ou seja, o que a plataforma faz é reunir um portefólio de barbeiros disponíveis para se deslocarem onde os clientes estiverem, evitando assim que estes tenham de perder tempo em transportes ou fazer alterações no seu dia de trabalho.

A reserva do serviço é agendada online

Poucas semanas depois do lançamento do seu MVP, e com marketing mínimo, a Cutter’s Club recebeu centenas de inscrições, 80 reservas e uma classificação de satisfação de 9,4 / 10 dos utilizadores, o que comprovou a adesão do mercado à iniciativa. Agora, a plataforma já tem mais de 250 barbeiros inscritos e quer expandir os serviços para  East London, a área até agora com mais reservas.

O recurso à campanha de crowdfunding foi a opção escolhida pelo responsável do Cutter´s Club para pôr em prática esta nova etapa e aumentar o número de utilizadores noutras áreas geográficas da cidade. A Seedrs  foi a plataforma de financiamento escolhida para conseguirem a verba necessária (pouco mais de 100 mil euros) e o objetivo já foi ultrapassado.

O fundador Wiiliam Despard acredita que é uma questão de tempo até esta indústria também se render à tecnologia, através de plataformas fully-on-demand focadas no cliente – e está convicto de que têm um grande potencial de mercado e de investimento, inclusive internacional.

Comentários