O filantropo bilionário Bill Gates sugere cinco obras para “uma mudança de ritmo” durante esta época de Natal e ultrapassarmos melhor o período de confinamento.

As recomendações de leitura de Bill Gates seguem a ideia de “mudança de ritmo”, para irmos aproveitando durante a quadra natalícia. Algumas obras abordam temas difíceis, que servem para educar e inspirar a enfrentar o momento atual; outras visam desviar as nossas mentes da tristeza do coronavírus.

Visto que não temos escolha a não ser ficar mais em casa, nada melhor que um sofá, uma manta e um livro para nos ajudar a “terminar o ano numa nota positiva”. Conheça as sugestões de leitura que Bill Gates partilha na Fast Company.

1.“Range: Why Generalists Triumph in a Specialized World”, David Epstein

Imagem: Penguin Random House

O jornalista desportivo David Epstein usa ícones atuais e históricos, de Roger Federer a Charles Darwin, para ilustrar a sua tese: que os “generalistas” se dão melhor no trabalho e na inovação que os “hiperespecializados”, que podem ter visão de túnel quando se trata de projetos profissionais. Tendemos a pensar o oposto – que é importante mergulhar fundo numa única área –, mas Bill Gates diz que este é um livro para “desmascarar mitos”, dado que argumenta que o mundo precisa de mais “pessoas que comecem de forma ampla e adotem experiências e perspetivas diversas”. Algo com que Gates – que se considera curioso numa variedade de assuntos – se identifica, e até diz que na Microsoft tentou contratar vários polímatas, que crê terem contribuído para o sucesso da companhia.

2. “The Splendid and the Vile: A Saga of Churchill, Family, and Defiance During the Blitz”, Erik Larson

Imagem: Penguin Random House

Este livro conduz os leitores por uma “narrativa acelerada” que decorre nos anos assustadores de 1940-1941, em Inglaterra, quando os londrinos se escondiam no subsolo durante os bombardeios noturnos da Blitzkrieg, que mataram quase 45 mil britânicos. Bill Gates refere que “ajuda o leitor a sentir como é viver sob ataques aéreos”. Mas o que há de tão especial neste relato em particular, acrescenta, são os “detalhes íntimos”, que muitas vezes são deixados de fora nas biografias da Segunda Guerra Mundial. O protagonista é Churchill, que Erik Larson pinta como a “razão número 1 pela qual o povo britânico perseverou” durante aquele período difícil. E “2020 também se qualifica como um período difícil”, afirma Gates, explicando que este livro é hoje muito relevante, enquanto navegamos por quarentenas e confinamentos.

3. “The New Jim Crow, Michelle Alexander

Imagem: The New Press

Embora já tenha dez anos, para Bill Gates este livro permanece extremamente relevante. O filantropo leu-o para aprofundar a compreensão do racismo sistémico nos EUA, após as mortes de Breonna Taylor e de George Floyd e os protestos decorrentes. Esta obra informa os leitores sobre o ciclo de encarceramentos em massa e a criação de uma “subclasse permanente” de cidadãos negros e com baixos rendimentos. Gates considera que Michelle Alexander tem um talento de tal forma especial para explicar o contexto histórico que espera que ela escreva sobre como o crescente movimento “Black Lives Matter” afetou a sua tese. “Estou ansioso para ouvir o que ela pensa sobre como este ano pode nos ter levado para mais perto de uma sociedade mais igualitária”, refere.

4. “The Spy and the Traitor: The Greatest Espionage Story of the Cold War”, Ben MacIntyre

Imagem: Penguin Random House

Este thriller de espionagem da era da Guerra Fria não é ficção, mas Bill Gates diz que é “tão empolgante como os meus romances de espionagem favoritos”. Estamos em 1983 e a tensão entre os EUA e a União Soviética corre o risco de se transformar numa guerra nuclear – não fosse a bravura de Oleg Gordievsky, um espião do KGB que se tornou agente duplo e ajudou os americanos. Colocando a narrativa envolvente de lado, Gates diz que este livro se resume a um “notável perfil de coragem” do informador, que corria sério risco de prisão e de morte caso os soviéticos descobrissem a traição.

5. “Breath from Salt: A Deadly Genetic Disease, a New Era in Science, and the Patients and Families Who Changed Medicine Forever, Bijal P. Trivedi

Imagem: BenBella Books

A escolha final de Bill Gates fala sobre a abordagem multifacetada para combater a fibrose cística, uma doença genética grave que ataca os pulmões. Inicia com o alerta de que este livro “não é para todos”, devido ao seu formato longo e detalhado. Mas ressoou em Gates, que nos primeiros anos de filantropia contribuiu para testes de medicamentos para combater a fibrose cística, após ter sido abordado por um funcionário da Microsoft cujos filhos pequenos padeciam da doença. A obra foca os muitos heróis da descoberta médica, incluindo famílias, investigadores, médicos e fisioterapeutas. “É um livro inspirador. Sei que haverá mais histórias de sucesso como esta nos próximos anos.”

Comentários