Big Impact premeia projetos tecnológicos de três start-ups

Sens’ability, SpawnFoam e Lilheads são as start-ups vencedoras do Big Impact, uma competição que procura projetos inovadores de cariz tecnológico. A final foi disputada por 15 projetos.

Uma pulseira SOS para pessoas com deficiência, vasos biodegradáveis e experiências interativas com recurso a inteligência artificial foram os projetos vencedores da competição Big Impact, uma iniciativa do Vodafone Power Lab (programa de incentivo à inovação e ao empreendedorismo iniciado pela Vodafone Portugal em 2009), e organizada pela consultora de inovação imatch.

Os projetos são da autoria da Sens’ability, SpawnFoam e Lilheads. Em Tecnologia para a Inclusão, a Sens’ability apresentou um protótipo de um dispositivo semelhante a uma pulseira, desenhado para portadores de deficiência auditiva e visual. A solução recorre à tecnologia NB-IoT e permite enviar pedidos de ajuda em casos de emergência.

Em Economia Circular, a SpawnFoam ganhou com o projeto de vasos biodegradáveis para projetos de reflorestação, através da combinação de vários elementos naturais, resíduos orgânicos ou agroflorestais. De plantação sustentável, os vasos permitem aumentar a taxa de crescimento das árvores, mas também podem ser reutilizados para a fertilização orgânica do solo, à medida que se forem dissolvendo no terreno.

No desafio Segmentação da Informação, a Lilheads apresentou um projeto que permite criar experiências interativas baseadas em Inteligência Artificial. Recorrendo à criação de chatbots e ao desenvolvimento de estratégias de gamification, propõe-se criar interações personalizadas com os utilizadores das várias redes sociais, melhorando assim o acesso à informação.

As start-ups vencedoras foram selecionadas depois de um Hackathon de 48 horas, realizado no DNA Cascais, na semana passada. Estavam em três áreas – Tecnologia para a Inclusão, Economia Circular e Segmentação da Informação – e estiveram em competição 15 equipas finalistas que tiveram oportunidade de definir a melhor estratégia, desenhar a sua solução com o apoio de mentores de cada uma das áreas a concurso e assistir a workshops e palestras.

Segue-se agora um período de nove meses para as equipas desenvolverem o respetivo piloto que será apresentado e testado em setembro de 2020.

Os vencedores do Boost Award – Sens’ability e SpawnFoam – receberão um prémio de dois mil e quinhentos euros, bem como a possibilidade de apresentarem uma demonstração da solução no Demo Dare e incubação no Vodafone Power Lab e DNA Cascais durante 12 meses.

Por sua vez, a Lilheads, premiada com o Big Pilot Award, receberá um prémio de investimento de cinco mil euros, bem como apoio da Vodafone no que diz respeito ao desenvolvimento tecnológico dos projetos, e da Câmara Municipal de Cascais para a experimentação das soluções em ambiente real.

Comentários

Artigos Relacionados