A BI4ALL prevê um crescimento de 35% para este ano e reforça a estratégia de internacionalização. A Suíça é a primeira aposta da empresa.

“Prevemos atingir um volume de negócios na ordem dos 23 milhões de euros em 2022, com uma aposta estratégica no mercado internacional e mantendo o nosso compromisso de dar uma resposta de excelência aos nossos clientes”, revelou hoje José Oliveira, CEO da BI4ALL, no âmbito da apresentação da estratégia de internacionalização da empresa apresentada hoje.

Para este ano, a BI4ALL prevê um crescimento na ordem dos 35%, com maior expressão no mercado internacional. Aliás, a empresa anunciou que o plano de internacionalização tem um enfoque especial na Suíça. A par disso, a empresa está também a analisar oportunidades de criação de novos centros de nearshore em várias localizações. Neste momento, já tem colaboradores em Portugal, na Macedónia do Norte, na Polónia e no Brasil.

“A BI4ALL atingiu um nível de maturidade e organização que lhe permite assumir uma política expansionista com a abertura de sucursais no estrangeiro”, esclareceu José Oliveira. Explicou ainda “este foi um ano de consolidação do negócio a nível nacional onde crescemos 10% e olhamos para a estratégia de internacionalização em novos mercados”.

De forma a apoiar esta aposta estratégica na expansão, a empresa especializada em serviços de consultoria com competências em Transformação Digital e Data Strategy (com foco em Analytics, Artificial Intelligence, Big Data, CPM e Software Engineering), está também a reforçar a equipa de gestão com quadros superiores, com experiência no setor e em multinacionais.

Ao longo deste ano, a BI4ALL pretende continuar a aumentar a sua equipa de forma a acompanhar o crescimento e as necessidades da empresa e dos seus clientes. Atualmente com mais de 350 colaboradores, a tecnológica prevê integrar este ano mais 50 colaboradores, sendo a sua intenção chegar aos 500 colaboradores em 2023.

“Estamos com grandes expetativas para os próximos três anos, tanto para Portugal, como para o mercado global, quer ao nível de reforço da estratégia de internacionalização, quer ao nível da contratação nacional e internacional de forma a acompanhar o crescimento”, referiu José Oliveira.

Neste momento, os setores que mais contribuem para o negócio da empresa são o farmacêutico, seguido do setor bancário, tem vindo a crescer em relevância, e dos setores da energia, transportes e seguros.

Comentários