Considera que merece ser compensado financeiramente pelo seu empenho e esforço na empresa? Chegou a altura de falar com o seu chefe.

Falar de dinheiro é desconfortável para muitas pessoas, especialmente quando diz respeito ao ordenado e a possíveis aumentos salariais.

A primeira coisa que deve ter em mente é que, se o seu desempenho tem sido acima da média, receber o valor justo pelo seu trabalho é um direito e não uma regalia, defende Romina Muhametaj, fundadora da Six 7 Radius, agência norte-americana de marketing, comunicações e relações públicas, e apresentadora do podcast “Coffee with Romina”.

Muhametaj morou sozinha nos Estados Unidos desde os seus 17 anos e começou cedo a negociar, especialmente quendo acompanhava o pai em negociações B2B.

Na Forbes, Muhametaj partilha dicas para conseguir um aumento de salário ou para negociar no seu local de trabalho.

1.Seja claro a apontar a razão pela qual merece o aumento salarial
Há uma diferença entre querer, precisar e merecer um aumento salarial. E embora possa pensar que todos os três se aplicam a si, só terá um aumento se merecer.

“Querer um aumento salarial porque quer comprar um carro é um motivo errado. Mas se se comparar com os outros e perceber que está entre os melhores, ganha o direito de pedir um aumento de salário”, explica a fundadora da Six 7 Radius.

Para Muhametaj, é importante colocar-se na posição do seu chefe ou empregador. Por mais disponíveis e compreensíveis que possam ser, ou queiram ser, eles têm um negócio e as empresas não têm sucesso a oferecer aumentos salariais aos colaboradores.

Se tem um dos melhores desempenhos da empresa ou excede regularmente as suas metas, é provável que esteja numa boa posição para pedir um aumento salarial. Uma empresa que deseja ter sucesso reconhecerá o benefício de investir nos seus melhores talentos, defende Muhametaj.

2. Faça pesquisa
Consegue provar que tem um desempenho superior? Muhametaj revela que as pessoas muitas vezes esquecem-se do que fazem no dia a dia, assim como grande parte do que produziram alguns dias antes e no último trimestre. Além disso, é provável que o seu chefe não saiba como se está a dar com o trabalho que tem em mãos. Surpreenda-se com o quão valioso quando quantificar o seu esforço.

“Eu sugiro fazer um mini portefólio”, diz a especialista, acrescentando que não deve apenas fazer uma lista do que fez porque era a sua obrigação, mas também deve conter todos os extras: aquelas partes onde foi além do que lhe foi pedido, as metas ou o que foi capaz de fazer para ajudar a empresa a poupar, por exemplo.

3. Seja confiante
Ser confiante é algo fácil de falar, mas difícil de executar. No entanto, existem atitudes que pode tomar e que o vão ajudar a ser mais confiante. Muhametaj recomenda manter um diário dos seus sucessos. “Ninguém vai pegar na sua mão e dizer: ‘Olá, olhe para esta lista de coisas que fez’”, explica. “Tem de fazer reflexões. Sempre que recebo boas notícias, anoto. Cada vez que faço algo novo, anoto. Pode construir a sua própria confiança”, sugere a especialista.

Também é importante perceber que não tem nada a perder. O pior cenário é ouvir um “não”. E mesmo assim, não perdeu nada com isso e ainda tem algumas opções. Um “não” pode significar coisas diferentes, como “não agora”. Talvez a empresa simplesmente não possa pagar e ofereça outra coisa, como uma função diferente ou um projeto.

A confiança é o aspeto mais importante. Afinal, se não se convencer de que merece um aumento salarial, provavelmente terá dificuldade em convencer um chefe.

Comentários