As start-ups europeias estão a caminho de bater um recorde de investimento angariado. Só no terceiro trimestre de 2018, o investimento de firmas de capital de risco em start-ups atingiu os 4.5 mil milhões de euros, elevando o valor total levantado para os 14.8 mil milhões de euros (segundo a plataforma Pitchbook).

Se esta tendência se mantiver, 2018 pode sagrar-se como o ano em que as start-ups europeias receberam mais investimento. Números do estudo da Pitchbook indicam que, em 2017, os projetos europeus deste género levantaram 19 mil milhões de euros.

Start-ups europeias estão perto de bater o recorde de investimento

Nº de negócios fechados e investimento recebido pelas start-ups europeias. (fonte: Pitchbook – adaptado para português pelo LTL).

Analisando o gráfico, verifica-se que apesar de haver cada vez menos negócios, o capital injetado em cada um deles cada vez maior.  Este ponto é notável entre 2016 e 2017: apesar de as start-ups terem levantado mais 2.3 mil milhões de euros no ano passado, houve menos 465 negócios do que em 2016.

À primeira vista isto poderia traduzir-se no amadurecimento do ecossistema, com rondas de investimento maiores para as start-ups que conseguiram ultrapassar os primeiros anos de atividade. No entanto, isto não significa que os investidores estejam mais inclinados a apostar em projetos em fases mais avançadas. O terceiro trimestre de 2018 comprovou exatamente o contrário. Nestes três meses, foram investidos 2.3 mil milhões de euros em start-ups em fase embrionária. Entre as maiores injeções encontramos a About You (256M€), Dfinity (102M€) e a SEBA Crypto (103.3M€).

Os dados da Pitchbook revelam um aumento médio em todos os veículos de investimento. As injeções de capital médias de venture capitalists em start-ups em fases mais avançadas subiram de 8.5 milhões de euros para 11.1 milhões de euros e de 4.3 milhões para 6.8 milhões em projetos de fase embrionária. O mesmo sucedeu com os business angels. Estes últimos aumentaram a fasquia média dos investimentos de 1.4 milhões de euros para 1.8 milhões de euros.

As start-ups do Reino Unido e da Irlanda continuam a ser as que recebem mais investimento. Segundo os dados disponibilizados, os projetos destes locais atraíram 39% de todo o capital. Isto é visível nos rankings das “10 start-ups da Europa que se sagraram unicórnios recentemente” e nos “5 projetos europeus com maior crescimento“, onde as empresas britânicas deste género estão bem representadas.

(Pode fazer download do relatório completo da Pitchbook)

Comentários

Sobre o autor

Avatar