A sucursal portuguesa da SAP celebra este ano 25 anos de atividade em Portugal, uma história que começou com apenas três colaboradores e que, duas décadas e meia mais tarde, já conta com mais de 400.

Neste quarto de século, a empresa de origem alemã passou de fornecedor tradicional de sistemas integrados de gestão empresarial a fornecedor de cloud, através da plataforma SAP HANA e integrando tecnologias de IoT (Internet of Things) e inteligência artificial.

O Link to Leaders acompanhou alguns dos executivos numa visita à sede da sucursal portuguesa, onde foi feito um balanço destes primeiros 25 anos de atuação e também foram apresentadas algumas das soluções mais recentes.

Em reunião com os jornalistas, Luís Urmal Carrasqueira, diretor-geral da SAP Portugal, referiu que a empresa está “agradecida ao mercado português por nos ter proporcionado a construção do ecossistema SAP e também estamos orgulhosos porque conseguimos honrar os compromissos que começámos há 25 anos”.

O impacto deste ecossistema é visível desde logo nas mais de 5600 empresas portuguesas que utilizam as soluções da tecnológica. Entre estas, estão incluídas 93 das 100 maiores organizações portuguesas e 17 das 18 empresas do PSI-20. Com pouco espaço para crescer no mercado das grandes empresas, o diretor-geral da SAP esclareceu que o foco está no tecido empresarial português e nas PME, que já representam 70% dos clientes da empresa portuguesa, das quais 32% são de serviços e 30% de distribuição e consumo.

Última década: assegurar a liderança através da transformação
A última década foi um importante período de modificação na empresa. Não querendo ficar para trás na corrida contra as suas competidoras de mercado, a SAP apercebeu-se que tinha de se transformar e inovar. Foi a partir deste mote que começou com a oferta de sistemas integrados de gestão empresarial e a diversificar as suas apostas tecnológicas através da aquisição de outras empresas e do desenvolvimento in house de soluções.

Um exemplo deste último ponto é a SAP HANA, uma plataforma de gestão de bancos de dados que foi lançada em 2010, que já tem mais de 200 utilizadores e que veio revolucionar o mundo do software aplicado ao mundo dos negócios. O grande diferenciador desta solução foi a capacidade de suportar tanto as funcionalidades transacionais de registo da atividade diária, como as analíticas de suporte à decisão. Até então, não havia nenhuma plataforma que juntasse estas duas áreas.

Questionado sobre o percurso nos últimos anos e sobre as alterações de mercado, o diretor-geral da SAP para Portugal sublinhou que “não nos podemos esquecer que durante os últimos 10 anos houve uma profunda crise económica, o que trouxe uma redução do investimento por parte das empresas. Portanto, diria que há dois tipos de investimento [por parte nossos clientes]: se por um lado temos os que modernizam os sistemas que sofreram poucas alterações ao longo do tempo, por outro, a economia transformou-se, as necessidades do mercado transformaram-se e as empresas também têm de alterar os seus processos de negócios. Relativamente à melhoria dos sistemas, as empresas têm uma ideia mais clara daquilo que querem fazer. Para os novos modelos de negócio, os nossos clientes trabalham muito na base do proof of concept e do business case, de forma a terem a certeza de que vão ter retorno de investimento”.

Universidades, coinovação e o futuro
Estes proof of concepts são conseguidos através do novo espaço de coinovação da SAP, uma área que chama estudantes, profissionais, empresas, universidades e os principais players do mercado. Intitulado de SAP Next-Gen, este programa já conta com protocolos com a NOVA IMS, Instituto Politécnico de Tomar e a Universidade do Minho. O objetivo passa por criar competências em soluções fundamentais à gestão de informação empresarial e responder às exigências de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e abrangente.

A empresa deu ainda a conhecer os seus planos para o futuro, que passam por manter a sua total orientação para o cliente, ajudando as empresas portuguesas a inovarem e a serem mais produtivas. Como estratégia e abordagem ao mercado nacional, a SAP irá continuar os seus esforços para:
– Dotar as empresas de mais inteligência, através de aplicações integradas e da evolução dos clientes para a solução SAP S/4HANA;

– Aumentar o conhecimento das empresas sobre os seus clientes, através da solução Customer Experience.

– E continuar a inovar com as plataformas na cloud e continuar a caminhar de braço dado com as necessidades tecnológicas das empresas, com soluções que podem ir desde o blockchain ao machine learning e IoT.

Comentários

Sobre o autor

Avatar