A empresa prevê aplicar este montante em empresas emergentes especializadas em alguns domínios, nomeadamente na realidade virtual.

A Samsung anunciou recentemente a criação de um novo fundo de investimento. Denominado NEXT, o novo fundo está dotado de 150 milhões de dólares (cerca de 140 milhões de euros).

A gigante coreana emprega dezenas de milhares de engenheiros que criam e aperfeiçoam diariamente os seus produtos. Um número colossal, alicerçado num gasto avultado em Investigação e Desenvolvimento (10,9 mil milhões de euros em 2015 só na Samsung Electronics). No entanto, a empresa não quer apenas contar com os seus talentos para assegurar o seu futuro, mas também quer apostar em investimentos bem dirigidos.

Para isso, a Samsung propõe-se agora apoiar no seu “Centro de Inovação Global” que passa a designar-se Samsung NEXT e que não é mais do que o ramo dedicado ao investimento em jovens empresas emergentes. A Samsung NEXT cria, assim, um novo fundo com o mesmo nome que conta com 150 milhões de dólares (cerca de 140 milhões de euros), prontos a ser injetados nas start-ups que atraírem o olhar do gigante coreano.

Brendon Kim, vice-presidente e diretor-geral do Samsung NEXT, esclarece que quer utilizar este montante para “trazer a força da plataforma Samsung às start-ups para acelerar o seu crescimento e o seu sucesso”.

“O fundo Samsung NEXT permite-nos ampliar a nossa eficácia e as nossas oportunidades, melhorando também o acesso privilegiado da Samsung a boas ideias, a bons produtos, a talentos”, acrescenta o responsável.

Para se candidatar a uma parte destes 150 milhões de dólares (cerca de 140 milhões de euros), é preciso respeitar algumas condições. Para já, a Samsung quer investir em determinadas áreas, tais como realidade virtual, inteligência artificial, Internet of Things e “outras tecnologias de vanguarda”. Algumas empresas já conseguiram candidatar-se a uma parte deste fundo, como a Dashbot (automóvel, IA, IoT), a LiquidSky (cloud gaming) e também a SafeDK (desenvolvimento).

O Samsung NEXT irá dar preferência a start-ups ainda em fase de inicialização (pre-seed) ou à procura do seu primeiro financiamento (Round A/Round B).

Comentários