Foi divulgado esta semana que a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD) e o Fundo Europeu de Investimento (FEI) comprometeram 100 milhões de euros no Portugal Growth Capital Initiative II (PGCi II), o programa nacional de private equity e growth capital.

O PGCi II dá continuidade aos objetivos do Portugal Venture Capital Initiative (PVCi), e pretende mobilizar mais de 500 milhões de euros para financiar PMEs portuguesas.  Apoiá-las no processo de modernização, crescimento e internacionalização é a finalidade do programa.

O Portugal Growth Capital Initiative II pretende levantar mais 50 milhões de euros de investidores institucionais privados, como por exemplo fundos de pensões, seguradoras e fundações. O PGCi II terá um período de investimento de quatro anos, e nesse período o FEI, irá selecionar entre seis a sete fundos de growth capital e private equity geridos a partir de Portugal.

Esses fundos terão até 2029 para investir em 60 a 80 PMEs com elevado potencial de internacionalização, tornando-as mais competitivas, mas também ajudando-as a resolver desafios de gestão como problemas de sucessão dentro de empresas familiares ou a consolidação em certos setores especialmente fragmentados.

Durante a apresentação do PGCi II, Pedro Siza Vieira, Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, reafirmou a importância «crucial» deste programa do «ponto de vista dos objetivos das políticas públicas económicas», designadamente para responder a necessidades específicas de financiamento relacionadas com ganhos de escala e estratégias de internacionalização. Além disso, considerou ser também uma boa oportunidade de investimento, em função daquilo que é a gestão do FEI não apenas em Portugal, mas também noutros países”.

Comentários