A afirmação é de Markus Krammer, diretor-geral do Centro I&D da NFON em Lisboa, que em entrevista ao Link  To Leaders explicou o que levou empresa alemã a escolher nosso país para instalar um centro de I&D, que deverá estar operacional a partir de setembro.

Sediada em Munique, a NFON AG assume-se como o único fornecedor pan-europeu de PBX em nuvem – contando com mais de 40 mil empresas em 15 países europeus como clientes. Com o Cloudya, a NFON oferece uma solução fácil de usar, independente e confiável para comunicações de negócio avançadas na nuvem, mas não faltam soluções premium a completar o seu portefólio no que toca às comunicações em nuvem.

Portugal, pela qualidade dos seus profissionais  e pelas condições que apresenta, foi o país escolhido para instalar um Nearshore Center que deverá entrar em funcionamento em setembro. Markus Krammer, diretor-geral do Centro I&D, explicou ao Link To Leaders que o centro de Lisboa faz parte da família de pesquisa e desenvolvimento da NFON e que participará de tarefas de pesquisa e desenvolvimento dentro do grupo. Até o final de 2024 quer contratar entre 70 a 100 colaboradores.

O que levou a NFON a escolher Portugal, Lisboa em concreto, para instalar o seu Centro de Investigação & Desenvolvimento? Os talentos, as infraestruturas…o que atraiu a empresa?
A NFON é o único fornecedor pan-europeu de PBX na nuvem – contando com mais de 40 mil empresas em 15 países europeus como clientes. Oferecemos soluções fáceis de usar, independentes e confiáveis ​​para comunicação empresarial fora da nuvem. Isso significa que oferecemos o nosso portefólio de produtos para empresas independentemente do seu tamanho e filiais. Portugal, especialmente Lisboa, é a metrópole do pólo tecnológico na Europa.

Na NFON conhecemos Portugal muito bem e em todos os processos detalhados de análise de outros países concorrentes, Portugal distinguiu-se claramente. Após um processo de avaliação exaustivo, Portugal conseguiu prevalecer na decisão. Com uma proporção muito alta de licenciados em matemática, ciências da computação, ciências naturais e tecnologia e uma integração muito boa e ampla da língua inglesa, Portugal oferece, além de outras vantagens de localização, uma afinidade muito elevada de jovens profissionais para projetos de desenvolvimento internacional. Como resultado, a oferta de developers nas áreas de front-end, back-end, PHP e codificação geral é elevada.
Esse é o melhor pré-requisito para o recrutamento de developers que podem trabalhar com sucesso na nossa equipa, por períodos mais longos, mesmo em grandes projetos. Portugal e, especialmente, Lisboa convenceram-nos totalmente na nossa busca por um novo local para Investigação & Desenvolvimento.

Revelaram que o projeto envolve um investimento na ordem dos dois a três milhões de euros por ano. Direcionado exatamente para quê?
Os custos de investimento referem-se à operação do centro nearshore em Lisboa.

“(…) os colaboradores farão parte da comunidade internacional de pesquisa e desenvolvimento da NFON AG (…)”

Qual vai ser a missão do Centro de Investigação & Desenvolvimento em Lisboa no seio do grupo?
O Nearshore Center em Lisboa faz parte do grupo NFON AG e é uma empresa separada. A missão está claramente definida: os colaboradores farão parte da comunidade internacional de pesquisa e desenvolvimento da NFON AG e contribuirão para aumentar a velocidade do desenvolvimento e, ao mesmo tempo, trabalhar mais intensamente em projetos variados. A missão é: facilitamos a comunicação.

“Procuramos pessoas com uma proporção muito alta de licenciados em matemática, ciências da computação, ciências naturais e tecnologia(…)”.

Que tipo de profissionais pretendem contratar?
Procuramos pessoas com uma proporção muito alta de licenciados em matemática, ciências da computação, ciências naturais e tecnologia e uma integração muito boa e ampla do idioma inglês. As pessoas querem desenvolver a comunicação fora da nuvem, querem fazer parte de grandes projetos de desenvolvimento internacional. Os profissionais devem ter experiência nas áreas de front-end, back-end, PHP e codificação geral.

Quais os objetivos estratégicos da empresa em Portugal?
No futuro, planeamos contratar de 70 a 100 colaboradores para o Nearshore Center, em Lisboa, até o final de 2024. Ficamos muito felizes por podermos contribuir para fortalecer a economia e negócios em Portugal, assim como o Tech-hub Lisboa.

Portugal já reúne as condições para ser verdadeiramente um hub tecnológico?
Sim, foi por isso que decidimos por Portugal e, especialmente, Lisboa.

“(…) o ecossistema empresarial português é caracterizado por um alto nível de profissionais de pensamento analítico (…)”

Como analisa o ecossistema empreendedor nacional?
Temos a certeza de que iremos aprender mais todos os dias sobre o assunto, no entanto, do nosso ponto de vista externo, o ecossistema empresarial português é caracterizado por um alto nível de profissionais de pensamento analítico, com foco em TI, foco na solução de problemas e uma forte mentalidade de poder, para além da determinação de criar e entregar algo melhor dentro de uma abordagem de espírito de equipa.

De que áreas são os vossos principais clientes?
Empresas de todas as áreas e dimensões são clientes da NFON e de seu portefólio de produtos. Mais de 40 mil clientes B2B em 15 países usam serviços da NFON.

“Com as nossas soluções de comunicação intuitivas, permitimos que as empresas na Europa se tornem um pouco melhores a cada dia”.

O que é que as vossas soluções podem fazer pelo negócio dos clientes?
Oferecemos soluções independentes, confiáveis ​​e fáceis de usar para comunicação empresarial fora da nuvem e facilitamos a comunicação. Com as nossas soluções de comunicação intuitivas, permitimos que as empresas na Europa se tornem um pouco melhores a cada dia. Importante, por exemplo, sobre a nossa oferta Cloudya: ela funciona em qualquer dispositivo, a qualquer hora e em qualquer lugar … essas são necessidades típicas da nuvem, mas a comunicação de negócio e empresarial não é óbvia.

Está nos vossos planos o lançamento de novas soluções de comunicações cloud?
O Nearshore Center em Lisboa faz parte da família de pesquisa e desenvolvimento da NFON e participará de tarefas de pesquisa e desenvolvimento dentro do grupo.

“O mercado na Europa é muito grande e optamos por nos concentrar no mercado europeu”.

Atualmente, a empresa está presente apenas na Europa. A criação deste Centro I&D em Lisboa tem no horizonte a expansão para outros mercados? América ou África, por exemplo?
O mercado na Europa é muito grande e optamos por nos concentrar no mercado europeu.

Que tendências é que a NFON antecipa para o seu setor de atividade?
A comunicação e colaboração de negócios baseadas na nuvem tornaram-se cada vez mais fáceis e confiáveis de utilizar ​​e, em tempos de Covid-19, têm sido essenciais para nossas economias. A melhoria contínua e a melhoria de funcionalidades relevantes são uma das tarefas mais importantes para conquistar e reter clientes. A NFON vai concentrar-se nessas tendências do mercado e fornecerá aos clientes na Europa essas novas tecnologias que tornam a comunicação dos negócios mais intuitiva, mais integrada e mais fácil de colaborar através de várias plataformas e dispositivos.

* E vice-presidente de produto e  new business da NFON AG

Comentários