A Milestone contratou Paulo Ferreira para liderar a equipa de SAP Enterprise Performance Management. O responsável conta com uma experiência de mais de 25 anos na realização de projetos em empresas como Grupo Nabeiro, CTT e Jerónimo Martins. Em entrevista ao Link To Leaders, Paulo Ferreira fala do seu novo desafio para ajudar as organizações nos seus processos de planeamento, controlo de gestão e consolidação.

Paulo Ferreira assumiu, em maio deste ano, o cargo de Enterprise Performance manager da Milestone, consultora da área de Tecnologias de Informação. Depois de desenvolver diversos projetos em empresas como o grupo Nabeiro, CTT, Jerónimo Martins, Águas de Portugal, Millenium BCP, Diageo e Delta Lloyd, o responsável lidera agora uma equipa de implementação de soluções, com vista a apoiar as organizações nos seus processos de planeamento, controlo de gestão e consolidação.

Paulo Ferreira é licenciado em Gestão, pelo Instituto Superior de Economia e Gestão, da Universidade Técnica de Lisboa. Tem ainda um curso de consolidação de contas, formação em implementação de sistemas de informação e gestão, de contabilista certificado e de formador em soluções SAP Analytics.

Quais são os desafios do Paulo enquanto novo Manager da área de Enterprise Performance Management da Milestone?
O principal desafio é assegurar que a Milestone seja cada vez mais reconhecida pelo mercado como uma referência em Enterprise Performance Management (EPM).

O Paulo Ferreira lidera neste momento uma equipa de implementação de soluções que ajudam as organizações nos processos de planeamento, controlo de gestão e consolidação. Pode falar-nos mais desta sua função e qual a sua missão?
A minha função é garantir não só que temos uma equipa experiente e com valências nas diversas componentes de EPM (funcionais e técnicas), com forte aposta na formação e partilha de conhecimento, mas também que apostamos no desenvolvimento contínuo de soluções que acompanhem a evolução das melhores práticas e que vão ao encontro das novas necessidades das empresas. Só tendo uma equipa competente e profissionalmente realizada, bem como soluções inovadoras com grande valor acrescentado é que poderemos ser uma referência no mercado.

Conta com uma experiência de mais de 25 anos na realização de projetos de elevada complexidade. De que forma o seu percurso profissional o está a ajudar neste novo desafio?
O facto de ter efetuado grande parte do trajeto profissional em projetos EPM em alguns dos maiores grupos empresariais (nacionais e internacionais) contribuiu decisivamente para acompanhar a evolução das melhores práticas em cenários complexos que exigem diferentes soluções e constante capacidade de adaptação às necessidades de cada organização. Na minha opinião, estas valências serão com certeza uma mais valia para o futuro na gestão da área de EPM na Milestone, contribuindo para criar as melhores soluções em cada cenário.

“Para que os decisores possam tomar as melhores decisões de gestão é cada vez mais relevante medir e controlar o desempenho das empresas, quer a nível económico e financeiro, quer comercial e operacional”.

Quais os benefícios que uma empresa poderá auferir ao recorrer a soluções de EPM – Enterprise Performance Management?
Para que os decisores possam tomar as melhores decisões de gestão é cada vez mais relevante medir e controlar o desempenho das empresas, quer a nível económico e financeiro, quer comercial e operacional. O objetivo é produzir informação de qualidade, em tempo útil, num ambiente controlado e com redução do tempo despendido na sua preparação em processos de baixo valor acrescentado, através da automatização dos mesmos.

Um projeto EPM inclui (numa perspetiva consolidada, por área de negócio/segmento e por entidade) reporte estatutário, reporte de gestão, planeamento estratégico, orçamento, forecast e reporte de indicadores analíticos de performance, sempre direcionado para as reais necessidades de informação dos decisores.

“As empresas que optarem por implementar soluções de reporte de desempenho sem assegurar que os processos associados são os mais adequados e/ou que têm equipas preparadas para as explorar terão grande probabilidade de ficar com soluções que não respondem às suas necessidades”.

Quais os maiores desafios que as empresas portuguesas enfrentam ao nível da implementação de soluções de EPM?
Os desafios são de natureza tecnológica, funcional e processual. Uma vez que as organizações são entidades vivas e em constante mudança, em projetos EPM o grande desafio é o alinhamento contínuo da tecnologia mais adequada com as pessoas e os processos, garantindo não só o seu sucesso, mas também decisões melhor suportadas.

As empresas que optarem por implementar soluções de reporte de desempenho sem assegurar que os processos associados são os mais adequados e/ou que têm equipas preparadas para as explorar terão grande probabilidade de ficar com soluções que não respondem às suas necessidades.

De que forma a Milestone se destaca das suas concorrentes ao nível da sua oferta?
A Milestone destaca-se pela experiência da sua equipa EPM (tecnológica e funcional) e pelo forte investimento em soluções inovadoras que desenvolve internamente, adaptáveis a qualquer setor de atividade. Funcionando como ponto de partida, estas soluções permitem uma redução significativa do tempo (e custo) necessário para um projeto de implementação e, simultaneamente, a incorporação das melhores práticas nos modelos a construir, previamente testadas.

“Reconhecemos que o mercado valoriza cada vez mais empresas que não só implementem com qualidade, mas que assegurem o necessário suporte e manutenção posterior”.

A procura por excelência, tanto no atendimento como no suporte pós-venda, é hoje um ponto fundamental na competitividade para qualquer empresa de qualquer setor, sobretudo na área de Tecnologias da Informação. Como é que a Milestone se posiciona neste sentido?
Reconhecemos que o mercado valoriza cada vez mais empresas que não só implementem com qualidade, mas que assegurem o necessário suporte e manutenção posterior. A Milestone fez uma grande aposta na criação de uma equipa de suporte e manutenção, quer técnica quer funcional.

Por regra, as empresas onde efetuámos projetos de implementação de soluções EPM permanecem ligadas à Milestone, assegurando o suporte e manutenção (preventiva e evolutiva) – facto demonstrativo de que foram projetos de sucesso e que demonstrámos competências que levam as empresas a continuar a confiar em nós.

No entanto, não efetuamos suporte e manutenção apenas a projetos em que estivemos envolvidos. São cada vez mais as empresas que recorrem à nossa equipa EPM para suportar as suas soluções, independentemente de termos estado envolvidos na implementação da sua solução EPM.

“(…) para ser considerado competitivo nos próximos cinco anos um software de gestão deverá estar disponível na Cloud e, simultaneamente, ter versões on premise – utiliza infraestrutura e servidores da própria empresa ou de terceiros”.

A transformação digital é um conceito inevitável. Outros conceitos como Mobile, Cloud, Big Data, Omnichannel, UX, AI, já permeiam hoje o desenvolvimento de qualquer ferramenta de gestão. Na sua opinião, que características deverá possuir um software de gestão para ser considerado competitivo nos próximos 5 anos?
Ainda temos grandes disparidades no que respeita ao nível tecnológico de cada organização (especialmente no que respeita às suas plataformas de back office), pelo que não será correto assumir que há um caminho único. Deste modo, para ser considerado competitivo nos próximos cinco anos um software de gestão deverá estar disponível na Cloud e, simultaneamente, ter versões on premise – utiliza infraestrutura e servidores da própria empresa ou de terceiros. O mais comum serão soluções híbridas ,convivendo desenvolvimentos nos dois ambientes. Em qualquer dos casos, deverá assegurar total integração com os sistemas de origem dos dados, bem como com as diversas aplicações de reporte corporativo.

Como espera ver a Milestone nos próximos cinco anos?
A Milestone tem como estratégia um crescimento sustentável assente em equipas experientes. O crescimento da empresa nos últimos anos é demonstrativo de que estamos no bom caminho. Para os próximos cinco anos,  queremos que o mercado nos reconheça cada vez mais como uma referência nas diferentes áreas onde somos considerados especialistas. EPM é uma delas.

Respostas rápidas
O maior risco:  Parar.
O maior erro:  Não evoluir.
A melhor ideia:  Partilha.
A maior lição:  Trabalho em equipa é muito mais do que a soma das partes.
A maior conquista: A família.

Comentários