Aquilo que nos separava, foi de facto o que nos uniu. O mundo digital. Se ainda havia empresas com resistência ao digital, agora, mais do que nunca, tiveram de adotar este canal nas suas organizações. Porquê? Porque é o único canal que une pessoas e empresas.

Aquele discurso de que o digital não funciona, pois o negócio faz-se presencialmente, já não é assim tão relevante. E mais uma vez pergunto, porquê? Porque as empresas estavam formatadas a modelos de negócio old school, não estavam dispostas a pensar fora da caixa e principalmente, porque tinham medo da mudança. Pois é, o COVID veio convidar as empresas e as pessoas em geral, a aceitar o digital nas suas vidas, mas com algumas premissas. Repare:

  1. Agilidade: impôs a tudo e a todos uma mudança drástica de modelo de vida e de negócio em 24 horas.
  2. Contenção: impôs ainda a condição de cada um de nós ficar confinado a quatro paredes a gerir as suas vidas pessoais e profissionais com a família à mistura.
  3. Adaptação: dentro de quatro paredes, adaptarmos em tempo real a vida pessoal, familiar e profissional às circunstâncias, fazendo essa gestão 24h/dia e 7 dias da semana.
  4. Empatia: o saber ouvir. O saber colocar-nos no lugar do outro. Quer para quem está connosco sobre o mesmo teto, como para com o colega de trabalho que está na sua casa a trabalhar e a gerir a sua vida dentro deste mesmo contexto.
  5. Comunicação: somos seres sociais e emocionais e como tal, é importantíssimo aprimorar esta skill, agora mais do que nunca. Comunicar, alinhar, comunicar, alinhar. São ações diárias para que nos mantenhamos ativos e consigamos concretizar os nossos objetivos quer pessoais como profissionais.
  6. Criatividade: se Maomé não vai à montanha, então a montanha vai a Maomé. Puxar pela criatividade, faz-nos pensar de forma diferente e, consequentemente, convida-nos a sair da zona de conforto. É a oportunidade de testar novos modelos – tentativa, erro. E, naturalmente, evoluirmos como seres humanos em toda a sua plenitude.
  7. Gestão de tempo: em 24h do dia e 7 dias da semana, há que gerir muito bem o tempo que deverá ser dedicado à vida pessoal, familiar e profissional. Agora a necessidade de equilibrar os pratos da balança, faz-se notar mais, exigindo essa gestão diariamente.

“Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”, já dizia Darwin. Somos seres transformacionais, é um facto. Toda esta transformação digital e o distanciamento social imposto de um dia para o outro, exige uma mutação 360º das pessoas e dos negócios. Nada será como antes, a evolução será sentida e notória em qualquer pessoa e em qualquer setor de atividade.

O agora é o presente. E, neste contexto, com as reais circunstâncias, é a oportunidade das empresas se reinventarem, otimizarem os seus planos de negócio, adotarem outras formas de comunicar com os clientes e com os colaboradores. É hora das empresas trabalharem por objetivos, darem autonomia e responsabilidade aos seus colaboradores e estes, por sua vez, terem a possibilidade de organizar o seu tempo e balancear a vida pessoal versus a vida profissional.

Pedimos aos nossos filhos para aceitarem a situação, para terem a capacidade de se adaptarem ao momento, para saberem gerir o seu tempo conciliando os deveres escolares e familiares, para estarem confinados, mas sendo ao mesmo tempo criativos. E o que eles fizeram? Foram ágeis. Aceitaram, adaptaram-se e seguiram em frente. Recorreram ao meio digital para aceder aos amigos, à escola, à família e ao mundo. Esta nova geração, deixa um grande legado – os 7 mandamentos que nos permitem a mudança de paradigma das organizações e das pessoas.


*Especialista em gestão e liderança com 15 anos de experiência no setor das Tecnologia de Informação na área Comercial e Marketing. Licenciada em Informática de Gestão e com formação executiva em Liderança pela Universidade Católica, fundou a OUTMarketing Portugal em 2007 e a OUTMarketing Brasil em 2012. Atualmente, desempenha funções de gestão, comercial e estratégia de expansão de negócio nos dois mercados, acumulando, assim, uma experiência das melhores práticas de marketing e comunicação direcionadas para as empresas de TI, B2B.

Comentários