Com a reforma da previdência, a expetativa de recuperação do crescimento do país é grande. Temos visto muitos investimentos a acontecer tanto através do aporte em start-ups como também de empresas estrangeiras ficando o “pé” no território brasileiro.

Há um intenso movimento no mercado. A WeWork, empresa internacional de espaços de coworking em parceria com a Suplicy Cafés, inaugurou recentemente seu primeiro endereço num aeroporto no mundo. A pop-up WeWork Suplicy, projeto especial inédito, fica no Terminal 2 do Riogaleão – Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro.

Para todos que os vierem visitar a Cidade Maravilhosa já contam com um espaço confortável com 32 posições de trabalho, aliado à um ótimo café e menu de comidas especiais. A B2W, holding que controla as lojas americanas.com e Submarino já começou a testar a entrega de mercadorias com drones, dos seus centros de distribuição para as suas lojas, embora ainda não haja planos de que as entregas sejam realizadas diretamente aos clientes.

A Xiaomi e Huawei, a segunda maior fabricante de smartphones no mundo, abriram lojas físicas em São Paulo. São Paulo é uma das 50 melhores cidades para as mulheres empreenderem, de acordo com pesquisas feitas pela Dell. Em 45.° lugar, a capital paulista foi a única cidade brasileira a figurar na lista. No ranking, foram avaliados o mercado, capital, talentos, cultura e tecnologia, além de políticas públicas e privadas que fomentam o empreendedorismo feminino. A tecnologia de reconhecimento facial está a crescer no Brasil. Na Bahia, a tecnologia já conseguiu identificar 40 suspeitos e estará em breve disponível nas principais linhas do metro de São Paulo. O reconhecimento de rostos por câmaras ajudará a encontrar foragidos, crianças desacompanhadas e pessoas desaparecidas. Já a rede de supermercados Pão de Açúcar fez uma parceria com a Microsoft para que possa abrir uma loja com reconhecimento fácil, self check-out, bem ao estilo “Amazon Go”.

Em relação a investimentos em TI, segundo a Gartner, há uma expetativa de que investimentos nas áreas de privacidade e segurança somem US$ 3,8 trilhões neste ano. As empresas brasileiras deverão adequar-se com a entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) no Brasil em agosto de 2020. A imobiliária Vitacon, combinará serviços oferecidos por start-ups à moradia. Através do App Space, o morador terá acesso a serviços das start-ups: Apptite (alimentação), BTFit (academia); Docway (consultas médicas); DogHero (passeio e hospedagem de cães); Grow (bicicletas e trotinetes elétricas); iFood (alimentação); Lev (bicicletas elétricas); Loopkey (controle de acesso); Movida (carros); Omo Lavanderia (lavagem e secagem de roupas); Singu (beleza e bem-estar); e Turbi (carros). Recentemente a start-up brasileira Fazenda Futuro, que produz carne feita a base de vegetais, captou US$ 8,5 milhões em investimento externo liderado pela Monashees. Já a Pipefy, start-up de gestão de trabalho e equipas, recebeu um financiamento de US$45 milhões. A plataforma brasileira já possui clientes em mais de 150 países.

A Redpoint eventures, empresa de capital de risco, que já possui na sua carteira start-ups de sucesso como Rappi, Gympass e Resultados Digitais, tem investido em insurtech, start-ups de seguro. Duas fintechs alemãs estão de olho no mercado brasileiro e irão investir em força. A N26, que tem como foco pessoas que viajam com frequência ou lidam com diversas moedas e a SumUp que já está a operar no Brasil e irá investir R$ 500 milhões na expansão dos seus negócios. Estamos bem na metade do ano, e tudo indica que 2019 ainda promete muitas novidades, investimentos e inovações.
A conferir!

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Daniella Meirelles é fundadora da DBRAND, consultora de branding, marketing e inovação; fundadora/CEO do GetYuppy, start-up de media, marketing e eventos; mentora nos programas Startup Rio, Startup Weekend e Founder’s Institute; palestrante; e também atua na organização do II Chapter... Ler Mais