Londres lidera a cena europeia de fintech pelo valor total de financiamento registado e pelo número de unicórnios. A capital britânica já tem mais unicórnios fintech do que São Francisco.

No campo das fintech, o Reino Unido está a fazer concorrência à restante Europa e está a equiparar-se a potências como China e a região de Silicon Valey no número de unicórnios ou empresas privadas de milhões de dólares no seu mercado. A informação veiculada pelo Business Insider refere que Londres tem protagonizado uma ascensão meteórica e que, no primeiro semestre de 2019, registou cinco mil milhões dólares (cerca de 4,4 mil milhões de euros) em investimentos de capital de risco.
Em 2018, o investimento em capital de risco no Reino Unido foi superior ao da Alemanha, França e Suécia, segundo dados da Tech Nation. Atualmente, Londres tem mais unicórnios fintech (18) do que São Francisco (15).

Ao que tudo indica, uma mistura de regulação progressiva, acesso a talentos e o aumento dos níveis de financiamento parecem estar a ajudar neste processo. Uma das mais conhecidas investidoras de capital de risco de londrins Eileen Burbidge, disse ao Business Insider que um terço dos unicórnios da Europa começaram em Londres e que 30% do que ela chama de “futuros unicórnios” tem sede no Reino Unido.

Também Gerard Grech, CEO da Tech Nation, lembra que “os números mostram até que ponto o setor de tecnologia digital do Reino Unido está a rivalizar com os EUA e a China, após um ano incrivelmente forte de investimento para empresas britânicas em rápido crescimento”.  Segundo este profissional, o “setor de tecnologia digital do Reino Unido continua a fortalecer-se com os unicórnios agora a aparecerem por todo o país”.

Parte do motivo da ascensão das fintech no Reino Unido foi o acesso ao capital. O “ecossistema” de start-ups de Londres apoia várias rondas de financiamento das séries A, B e C para empresas notáveis. “O Reino Unido há muito tempo que mantém uma posição estabelecida na vanguarda do empreendimento, liderando em áreas como fintech, IA e healthtech”, reforçou também Suranga Chandratillake, sócio da Balderton Capital. “Este ecossistema está agora a criar empresas que estão a resolver alguns dos maiores problemas sociais do mundo, desde melhorar a prestação de serviços de saúde, até criar serviços financeiros mais justos”.

Os dados divulgados pelo Business Insider referem ainda que o Reino Unido é o país que recebe mais investimentos no contexto europeu, mais do que a Alemanha, França, Israel e Suécia. Existe, aliás, uma tendência no aumento no financiamento de capital de risco não apenas no Reino Unido, mas também no resto da Europa e em Israel. Contudo, esse financiamento está maioritariamente a ser usado no Reino Unido, com o país a receber, em 2018, mais recursos do que a Alemanha, a França e a Suécia juntas.

As infras-estruturas de Londres são citadas como uma das principais razões para sua proeminência continuada na tecnologia financeira. Ao contrário da Bay Area, em São Francisco, que é formada por vários municípios e distritos urbanos, Londres está próxima de várias universidades, centros de pesquisa, outras cidades inglesas e europeias,  governo, reguladores, talentos e capital.

Como resultado, a capital inglesa é cada vez mais vista como uma possível nova região não apenas para a tecnologia financeira, mas também para outras start-ups de tecnologia, investidores e empreendedores.

Recorde-se que, desde maio do ano passado, o Reino Unido viu 13 novos unicórnios entrarem no mercado, incluindo Monzo, Greensill, Graphcore, OVO Energy e Acuris.

Comentários