O ManpowerGroup Employment Outlook Survey relativo ao 1.º trimestre de 2020 aponta para dinamismo nas contratações das empresas portuguesas.

Com uma projeção de criação de emprego de mais 10% no primeiro trimestre do próximo ano, os dados divulgados pelo ManpowerGroup Employment Outlook Survey apontam para dinamismo nas intenções de contratação das empresas nacionais.

No conjunto das 626 empresas inquiridas pela pesquisa da ManpowerGroup, 15% dos empregadores referiram antecipar um aumento nas contratações, entre janeiro de março de 2020. Por outro lado, 76% não preveem qualquer alteração e apenas 5% antevê uma quebra nas contratações.

No plano europeu, Portugal é o 4.º país com a projeção mais alta no que respeita à criação líquida de emprego nos três primeiros meses do próximo ano. Já quanto aos setores de atividade analisados, os das finanças, seguros, imobiliário e serviços serão os mais dinâmicos com uma projeção nas perspetivas de contratação na ordem dos 17%, mais 4% do que a previsão registada no primeiro trimestre deste ano.

Os indicadores também são positivos para a área da restauração e hotelaria, com uma projeção de mais 16%.  Da mesma forma, também no setor dos transportes, logística e comunicações, há otimismo da parte dos empregadores, com a projeção a situar-se nos mais 12%, tal como no setor industrial com mais 8%.

Num registo mais desacelerado encontram-se os setores público e do comércio grossista e retalhista. Aqui é esperado um ritmo ligeiramente mais fraco nas contratações, com uma projeção para a criação líquida de emprego a apontar apenas para mais 5%. Em qualquer dos casos há diminuição face ao período homólogo do ano passado.

Numa análise mais geográfica, o ManpowerGroup Employment Outlook Survey constatou que é a região Centro apresenta as melhores perspetivas ao registar mais 11% na projeção das intenções de contratação. Na Grande Lisboa, os empregadores anteveem um ritmo sustentado de contratação nos próximos três meses, fixando-se igualmente nos 11%, na região Norte a projeção aponta para mais 10% e na região Sul para mais 4%.

As protagonistas e principais impulsionadoras do crescimento do emprego deverão ser as Médias Empresas com uma projeção para a criação líquida de emprego de mais 26%. Pelo contrário, as microempresas observam uma ligeira contração nas previsões de contratação, menos 2%.

Perspetiva global
Em 42 dos 43 países e territórios analisados no estudo da ManpowerGroup, os empregadores esperam aumentar a sua força de trabalho no primeiro trimestre de 2020, incluindo todos os 26 países da EMEA (Europa, Oriente Médio, África).

Comparativamente ao trimestre anterior, os planos de contratação são mais fortes em 15 dos 43 países e territórios analisados. Os empregadores de 23 países relatam perspetivas de contratação mais fracas, e cinco países não anteveem qualquer alteração.

Grécia, Japão, Taiwan, EUA e Roménia apresentam-se como os mercados de trabalho mais fortes. Pelo contrário, a atividade de contratação mais fraca é esperada no Panamá, Argentina, Costa Rica, Itália e Espanha.

O estudo trimestral da ManpowerGroup recolhe as intenções de contratação de 58 mil  empregadores em 43 países e territórios.

Comentários