Depois de lutarmos contra a Covid 19, o nosso foco passa a ser o crescimento económico. O empreendedorismo é um dos fatores chave para o sucesso desta batalha. Em nenhum outro momento da história nos deparamos com tamanha necessidade. São precisos mais empreendedores, mais líderes empenhados na criação de riqueza e de oportunidades que garantam um futuro sustentável.

Empreendedores com uma nova “raça”, que se adaptem com gosto e vontade aos avanços tecnológicos a que temos assistido ao longo destes últimos 18 meses. A lei de Moore, novamente aplicada, e a justificar que as tecnologias atuais ficam ultrapassadas a cada dois anos.

Milton Friedman escreveu na década de 70 que as empresas e líderes da indústria/empresários tinham como principal objetivo cuidar dos acionistas, criando mais valor para estes. Devo dizer que, se para si, esta é a máxima que continua a prevalecer, então, prepare-se porque vêm aí problemas. As empresas impulsionadas apenas pelas receitas vão desaparecer mais depressa do que pensávamos possível.

Os empresários terão que começar a dividir a concentração entre os interesses de investidores e acionistas, mas também por todas as partes interessadas. Isto se quiserem ser bem-sucedidos e garantir um futuro sustentável para todos.

Os bons empresários, aqueles que acreditam que as suas empresas são mais do que apenas o resultado final, vão com certeza construir boas empresas com garantias de crescimento e prosperidade no futuro. Tal como clientes e consumidores mudaram, o mesmo se espera que aconteça aos líderes e aos empresários, isto se quiserem continuar a ser relevantes.

A boa notícia é que a adaptação e a mudança, para atender a estes novos valores e expetativas, também serão boas para o negócio global e, em última análise, até para os acionistas das empresas e, como bónus, para o mundo como um todo.

A tecnologia muda rapidamente e muitas vezes os conjuntos de competências estão atrasados. Por isso, os empresários terão uma grande vantagem em qualquer indústria em que operem se forem criativos e corajosos e acolherem esta nova norma. O pensamento crítico, a resolução de problemas, o trabalho em equipa, a motivação e a adaptabilidade serão, mais do que nunca, necessários. Felizmente, este é o ADN do empreendedorismo. Vamos precisar de mais “especialistas em assuntos gerais”, um termo que uso para explicar que os empreendedores não só inventam novas tecnologias, mas sabem muito sobre algumas coisas e um pouco sobre tudo e usam este know-how para criar sinergias que permitem construir novas soluções para novos problemas.

Será da responsabilidade dos nossos líderes e empresários compreender que todos os grandes progressos alcançados hoje terão um impacto positivo no futuro. Concentrar-se apenas nas receitas não pode garantir que este tipo de ganhos sustentáveis e, a curto prazo, acabem por se tornar perdas. Não podemos permitir que as ações negativas de alguns impactem negativamente uma maioria. É importante começar por nós mesmos e garantir que somos os líderes empreendedores das nossas próprias vidas.

Valores e ética tornar-se-ão importantes na nossa jornada empresarial. Temos de assegurar que teremos um impacto positivo em todas as partes:

  • Empregados – Atualmente, um CEO dos EUA ganha 800 vezes o salário médio dos trabalhadores normais. Os salários dos trabalhadores normais têm estado estagnados nos últimos 30 anos. Continuamos a cortar os benefícios dos empregados para aumentar os lucros. Um equilíbrio entre salários e benefícios terá de regressar, com a tecnologia agora disponível para o aumento dos rendimentos por trabalhador e oferecendo também a possibilidade de trabalho remoto. Permitir-nos-á, finalmente, obter talento global para as nossas empresas, uma vez que permite que os trabalhadores operem remotamente a partir de qualquer ponto do mundo, permitindo-lhes escolher o seu próprio estilo de vida.
  • Os clientes/consumidores – Estão a tornar-se mais exigentes. Querem saber como é que os produtos são fabricados e como é que os serviços que escolhem consumir afetam o mundo em que vivem. Querem que as empresas assumam a responsabilidade pela forma como são obtidas as matérias-primas e como empregam as pessoas. Querem que as empresas contribuam e sejam responsáveis.
  • Comunidade – As empresas têm de se integrar mais nas suas comunidades circundantes; terão de pagar impostos locais e obter fornecedores o mais possível localmente. Terão de melhorar as comunidades locais com contribuições para a educação, requalificação e saúde.
  • Ambiente – As empresas terão de garantir que não só fazem algo em relação ao ambiente, mas que fazem muito bem ao ambiente. Fazer o suficiente não será suficiente, uma vez que os consumidores esperam resultados reais e tangíveis.

Os bons acionistas e empresários compreenderão isto e a médio prazo ganharão e crescerão com isto. Os seus negócios e carreiras florescerão e tornar-se-ão sustentáveis por causa disso. A questão que todos os líderes vão fazer é: “As decisões que estou a tomar hoje são vantajosas para todas as partes interessadas ou apenas para os meus acionistas?”.

Cuidar de todos estas “partes interessadas” também garantirá que as empresas atraiam e retenham os melhores talentos e, por isso, cresça a fidelização dos clientes.

As empresas e as reputações individuais tornar-se-ão, mais uma vez, um bem valioso para as empresas, os empresários e os trabalhadores. É hora de começar a construir, já hoje, a reputação que quer ter no futuro.

Versão do texto em inglês

GOOD Entrepreneurship can save the World

Once we have fought off Covid 19 the focus will turn to economic growth. Entrepreneurship is one of the key factors to achieve success in this endeavour. Never before has the world needed more entrepreneurial leaders to create wealth and opportunities that guarantee a sustainable future.

The new breed of entrepreneur needed is one that easily and willingly adapts to the technological advancements that we’ve seen over the past 18 months. Moore’s law continues to make present day technologies redundant every 2 years.

Milton Friedman wrote in the 1970’s that companies and industry Leaders/Entrepreneurs’ main aim was to look after the shareholders by having the best bottom line (profits for shareholders).

I must say that if this is your only focus today then you are in trouble, revenue driven  companies will start to die out faster than we ever thought possible.

Entrepreneurs will have to focus not just on their investors and shareholders interests but rather on all stakeholders if they wish to be successful and guarantee a sustainable future for all.

Good Entrepreneurs who believe that their companies are about more than the bottom line will definitely build good companies and these companies will have a license to grow and prosper into the future.

Clients and consumers have changed and therefore our leaders and companies will have to change if they wish to remain relevant.

The Good news is that adapting and changing to meet these new values and expectations will also be good for the overall business and ultimately even the shareholders of companies and, as a bonus, the world as a whole. Companies and leaders of companies will be held to higher standards going forward and this again is a good thing for all.

Technology is moving fast and many times skill sets are lagging behind and therefore Entrepreneurs will be at a great advantage in whichever industry they operate in if they are creative and brave in welcoming this new norm. Critical thinking, problem solving, team work, motivation and adaptability will be needed more than ever before and fortunately, this is the DNA of Entrepreneurship. We will need more “Specialist Generalists”, a term that I use to explain Entrepreneurs who don’t only invent new technology but know a lot about everything and a little bit about something and use this know-how to create synergies to build new solutions to new problems.

It will be our leaders and Entrepreneurs’ responsibility to understand that all broad progress achieved today will have a positive impact on the future tomorrow. Concentrating on revenues alone cannot ensure this kind of sustainable future and short term gains will become long term losses. We cannot afford that the negative actions of a few impact a majority negatively. It’s important though to start with ourselves and make sure we are the Entrepreneurial leaders of our own lives.

Values and Ethics will become important in our Entrepreneurial journey. We need to ensure that we will have a positive impact on all the following stakeholders.

Employees – in the US current CEO’s earn 800 times the average salary of normal workers. Wages of normal workers have been stagnant for the past 30 years. We keep cutting employee benefits to increase profits. A balance between wages and benefits will have to return, with technology now available for increased returns per employee and also offering the possibility of remote work. It will allow us to finally obtain global talent for our companies as it enables workers to work remotely from around the world allowing them to choose their own lifestyle.

Customers/Consumers are becoming more demanding. They want to know how products are manufactured and how the services they choose to consume affect the world they live in. They want companies to take responsibility on how they source raw materials and how they employ people. They want companies to give back and be responsible.

Community – Companies have to become more integrated with their surrounding communities, they will have to pay local taxes and source as much as possible locally. They will need to improve local communities with contributions to education, re-skilling and health.

Environment – Companies will have to ensure they don’t just do something towards the environment but that they do real good for the environment. Just doing enough will not be enough as consumers will expect real and tangible results going forward.

Good shareholders and Entrepreneurs will understand this and in the medium term will gain and grow from this. Their businesses and careers will flourish and become sustainable because of this. The question going forward that all leaders will ask is; “Are the decisions I’m making today advantageous for all stakeholders or just so for my  shareholders?”.

Looking after all these stakeholders will also ensure that companies attract and retain the best talents and grow client loyalty.

Company and individual reputations will once again become a valuable asset for businesses, entrepreneurs and working individuals. It’s time to start building the reputation you want today.

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Tim Vieira é empresário em Angola desde 2001, país onde possui, juntamente com o seu sócio Nuno Traguedo, um dos mais relevantes grupos de Media – a Special Edition Holding –, que emprega mais de 500 colaboradores e detém algumas... Ler Mais