A aplicação chama-se Hear e promete ser mais uma forma de combate à violência contra as mulheres.

Numa altura em que o número de mulheres vítimas de violência doméstica é um flagelo nos mais variados países, à escala mundial, há um grupo de 28 investigadores brasileiros que, recorrendo à inteligência artificial, desenvolveu uma aplicação que identifica atos de violência contra as mulheres.

A app chama-se Hear  (Helping Everyone to Actively React ) e funciona com captação de sons ambiente, de acordo com os quais consegue analisar o sentimento na voz da vítima, detetando, desta forma, situações de violência.

O processo é relativamente simplificado através de IA: a aplicação identifica situações de agressões e em tempo real aciona a comunidade de utilizadores da app, independentemente de haver uma denúncia formal ou não da vítima. Ou seja, desde que o momento em que a aplicação esteja instalada no smartphone, a tecnologia da Hear capta os sons ambiente e analisa possíveis agressões, sem que seja necessário a vítima acionar qualquer botão, a partir de palavras-chave ou através do sentimento expresso na voz da utilizadora.

Quando o caso configura uma agressão, é enviada uma notificação para outros utilizadores registados na plataforma, onde é identificada a localização da vítima. Assim, as pessoas notificadas podem decidir como ajudar a agredida.

Este projeto foi concebido por Lincon Ademir, um aluno do mestrado profissional do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, em Pernambuco, Brasil, e conta com o envolvimento de investigadores da universidade Federal Rural de Pernambuco. Contribuir para reverter o quadro de violência de género que tem afetado o país é o objetivo prioritário desta tecnologia.

A aplicação começou a ser desenvolvida em 2018 e deverá estar disponível em fevereiro (para dispositivos Android). Entretanto, já foi finalista EU-Brazil Innovation Pitch 2019.

Comentários